Topo

CarnaUOL

Minas Gerais


Censura? PM proíbe grito político no bloco Tchanzinho Zona Norte em BH

Bloco Tchanzinho Zona Norte desfila no bairro Jaraguá, em Belo Horizonte - Alexandre Guzanshe/Divulgação Belotur
Bloco Tchanzinho Zona Norte desfila no bairro Jaraguá, em Belo Horizonte Imagem: Alexandre Guzanshe/Divulgação Belotur

Miguel Arcanjo Prado

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

02/03/2019 13h27

A Polícia Militar (PM) proibiu manifestações políticas durante o desfile do Bloco Tchanzinho Zona Norte no Carnaval de Belo Horizonte. O bloco fez seu cortejo na região do bairro Jaraguá, na noite desta sexta (1°).

Segundo o bloco, seus integrantes foram ameaçados por agentes da PM que faziam a segurança do próprio desfile quando resolveram puxar um coro contra o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e favorável ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Segundo relatos dos integrantes, um capitão da PM teria chegado a subir no trio para dizer aos músicos que não aceitaria gritos contra Bolsonaro nem pedindo a liberdade do ex-presidente Lula, a quem o policial teria chamado de "vagabundo condenado".

Diante da repreensão, o cantor do bloco, Marcos Sandália e Meia, discursou para a multidão: "O Tchanzinho respeita as minorias, que na verdade são a maioria. Somos um bloco que respeita a democracia. Todo mundo é bem-vindo, mas, se por acaso, não concordar, vai se incomodar porque vamos falar o bloco inteiro: Bolsonaro é o c... Lula livre". O músico ainda afirmou em seu discurso que "o Tchanzinho é um bloco politizado assim como o Carnaval de BH".

Marcos Sandália e Meia reiterou que os protestos continuariam, pois "o país ainda não está em uma ditadura".

Em entrevista à rádio Itatiaia, o porta-voz da Polícia Militar de Minas Gerais, Major Flávio Santiago, classificou como "positiva" a ação da PM de repreender manifestações políticas no bloco e que os puxadores de trios elétricos não podem incitar os foliões com manifestações políticas.

"A manifestação silenciosa vai acontecer. A pessoa vai com a sua bandeira, vai com a sua fantasia, às vezes, vai com pequenos grupos fazendo alguma brincadeira e tal, mas no momento em que isso é incentivado por (quem está) nos trios ou por blocos a gente tem problema", explicou o major.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Minas Gerais