PUBLICIDADE
Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


É falso que delegado da PF determinou prisão de Alexandre de Moraes

05.jul.2022 - Publicação falsa imita design de portal de notícias com montagem - Arte/UOL
05.jul.2022 - Publicação falsa imita design de portal de notícias com montagem Imagem: Arte/UOL

Isabela Aleixo

Do UOL, em São Paulo

05/07/2022 14h04

É falso que o superintendente da Polícia Federal no Distrito Federal, Victor Cesar Carvalho dos Santos, tenha determinado a prisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes.

Um vídeo publicado no YouTube no dia 1º de julho exibe uma montagem que imita o design do portal de notícias G1 com o título "Delegado da Polícia Federal determina a prisão de Alexandre de Moraes". Até esta terça-feira (5), o vídeo tinha mais de 200 mil visualizações.

A matéria do G1, no entanto, não existe. Embora a imagem use o crédito de uma repórter do portal, trata-se de uma montagem. Além disso, o subtítulo possui um erro. Está escrito "segurança públuca".

Em resposta ao UOL, o STF afirmou que desconhece qualquer determinação nesse sentido, e que "quem decreta prisões é o Poder Judiciário, e não a autoridade policial". Já a assessoria do Grupo Globo disse que a imagem é uma montagem e que esse conteúdo nunca foi publicado pelo G1.

Montagens que imitam o design de portais de notícias são recorrentes. O UOL já checou uma que afirmava que um deputado do PT do Amazonas tinha apresentado um "projeto de lei para que policiais portem armas descarregadas". O deputado citado não existe, assim como o projeto de lei. Outra montagem afirmava que "Lula disse que a Bíblia vai adotar pronome neutro e não terá mais o nome de Jesus". Não há registro de que o ex-presidente tenha dito isso.

A publicação também foi checada pelo Aos Fatos e Boatos.org.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.