Topo

Tragédia em Brumadinho


Doações para Brumadinho são desnecessárias, dizem Bombeiros

Do UOL, em São Paulo

28/01/2019 11h06Atualizada em 28/01/2019 15h56

Responsável por buscar desaparecidos na tragédia com a barragem da Vale em Brumadinho (MG), o Corpo de Bombeiros pediu que os brasileiros não enviem donativos à população atingida pelos rejeitos. Até o momento, 60 corpos foram localizados e 19 pessoas identificadas. Há 292 desaparecidos e 192 resgatados.

Porta-voz do Corpo de Bombeiros, o tenente Pedro Aihara agradeceu "a solidariedade das pessoas", mas garantiu que os donativos são desnecessários por enquanto. "Graças a Deus a gente pode contar com a boa vontade da população brasileira", afirmou em entrevista coletiva. "Mas como a gente trabalha com um número grande de mortos e não desabrigados, os donativos não são necessários."

Aihara alertou para a possibilidade de golpe. "Infelizmente, muita gente se aproveita da boa fé de outras para aplicar golpes como estelionato", disse. "Pelo governo estadual de Minas Gerais, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e todos os órgãos oficias envolvidos na tragédia, não está sendo solicitado nenhum tipo de doação, nem donativos, nem dinheiro."

De acordo com o tenente, é possível ajudar mais "torcendo para que o resultado dessa operação seja o melhor possível".

Segundo a Polícia Civil, dois inquéritos foram abertos. Um visa apurar as causas do rompimento da barragem e identificar os responsáveis pelo desastre. O segundo investigará casos de estelionato relacionados a falsos anúncios de doações.

Flávio Santiago, major da Polícia Militar de Minas Gerais, afirmou que o serviço de inteligência da PM mineira identificou as ações criminosas, que, por meio de anúncios em sites não oficiais, pedem depósitos em contas bancárias para doações.

O major também afirmou que a Defesa Civil não precisa de nenhuma doação no momento e, caso seja necessário, as informações estarão publicadas de forma oficial nos sites da Defesa Civil.

Ajuda israelense

As primeiras tropas israelenses já começaram a atuar na manhã desta segunda-feira no resgate das vítimas na região de Brumadinho (MG), onde uma barragem de rejeitos da mineradora Vale se rompeu na última sexta-feira. Segundo o Corpo de Bombeiros, 11 militares israelenses fizeram o reconhecimento terrestre no local. A expectativa é que mais 70 militares se desloquem para a região com equipamentos de rastreamento. Ao todo, 136 homens auxiliarão nas buscas, em um esquema de revezamento. 

O comandante da Unidade de Resgate Nacional de Israel, Golan Vach, disse que seus homens já estão na região do rio Paraopeba em busca de sobreviventes e dos corpos das vítimas. "Nosso primeiro pessoal acabou de chegar ao rio. O primeiro passo será o esforço para encontrar pessoas desaparecidas com vida", afirmou durante entrevista coletiva. 

As equipes israelenses usarão equipamentos para rastreamento capazes de identificar sinais de celulares, que são emitidos enquanto houver bateria nos aparelhos de posse de pessoas desaparecidas. Segundo Vach, os equipamentos conseguem encontrar sinais em até quatro metros de profundidade. Mas com o passar do tempo, quando as baterias já começam a descarregar, a estratégia perde a eficácia.

Além disso, os militares pretendem usar sonares capazes de distinguir lama de outras substâncias para encontrar vítimas. 

Bombeiros: doac?o?es a Brumadinho sa?o desnecessa?rias

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Tragédia em Brumadinho