PUBLICIDADE
Topo

Tragédia em Brumadinho

Após tragédia, Brumadinho (MG) suspende volta às aulas de 6.000 alunos

Luciana Quierati

Do UOL, em Brumadinho (MG)

31/01/2019 12h47Atualizada em 31/01/2019 18h57

Previsto para a próxima segunda-feira (4), o início do ano letivo dos alunos da rede municipal de Brumadinho (MG) foi suspenso nesta quinta-feira (31) após uma reunião entre a Secretaria de Educação e coordenadores do município. Na rede estadual, o início está mantido para a próxima quinta-feira (7).

A rede municipal atende a 6.000 alunos, e muitas das escolas estão localizadas em áreas hoje inacessíveis depois do rompimento da barragem de resíduos da Vale, que bloqueou vias de acesso às escolas. A rede estadual tem três escolas e totaliza 1.323 alunos.

Além da questão de acesso dos professores às comunidades mais afastadas, outra situação que tem preocupado os professores é de como lidar com os alunos que perderam familiares, muitos deles pais ou irmãos.

Os próprios docentes também foram afetados pela tragédia, seja com o desaparecimento de parentes ou amigos.

A professora Juliana Aparecida Fonseca, 42, que dá aulas para crianças de 2 a 3 anos da Emei Nair das Graças Prado, no distrito de Conceição de Itaguá, já sepultou um familiar e tem com outros cinco desaparecidos.

 professora Juliana Aparecida Fonseca - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
A professora Juliana Aparecida Fonseca já sepultou um familiar e tem com outros cinco desaparecidos
Imagem: Arquivo pessoal

Na localidade do Córrego do Feijão, próxima à barragem que se rompeu, vários ex-alunos seus estão desaparecidos ou têm pais ainda não localizados.

"É uma situação muito difícil, porque os dois lados estão feridos: nós, professores, e os alunos. A gente vai ter que passar por cima das nossas dores para poder acolher essas crianças que perderam os pais ou colegas", diz Juliana.

Márcia Aparecida de Miranda Silva, 45, leciona para alunos de mais idade, mas na mesma situação. "Acredito que vou ter que ser o mais carinhosa possível, porque se está doloroso para mim, imagina para eles", diz.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que em breve será anunciada uma nova data para a volta às aulas. 

"A Secretaria tem se empenhado exaustivamente para que o retorno às aulas aconteça o mais breve possível, de forma a proporcionar aos alunos, servidores e comunidade um ambiente de suporte e apoio ao drama vivido por toda a nossa população", disse o órgão em nota.

Escola Municipal Padre Machado - Luciana Quierati/UOL - Luciana Quierati/UOL
A Escola Municipal Padre Machado, em Brumadinho
Imagem: Luciana Quierati/UOL

Rede estadual mantém data

Também em nota, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais informou que os prédios que abrigam as escolas de Brumadinho não foram atingidos pelo rompimento da barragem e, que, por isso, as aulas serão retomadas no dia 7. A cidade conta com três escolas estaduais: Paulina Aluotto Ferreira, Paulo Neto Alkimim e Abelardo Duarte Passos.

A secretaria estadual diz ainda que está "monitorando a situação na região com objetivo de prestar todo apoio necessário para professores e alunos" e que o governo de Minas Gerais está articulando um plano de ação de atividades de apoio socio-emocional para atender os estudantes e comunidade escolar de Brumadinho.

Brumadinho tem orações e vigília em homenagem às vítimas

AFP

Tragédia em Brumadinho