Topo

Brasil e Uruguai condenam deposição de Lugo e convocam embaixadores; Argentina retira representante

Guilherme Balza

Do UOL, em Assunção

2012-06-23T22:39:42

23/06/2012 22h39

Às vésperas da Cúpula do Mercosul, que será realizada a partir da terça-feira (26) em Mendoza, na Argentina, os governos de Brasil e Uruguai condenaram a deposição de Fernando Lugo, a qual classificaram de “rito sumário”. Os dois países convocaram seus embaixadores no Paraguai; Cristina Kirchner, presidente argentina já ordenou a retirada de seu embaixador neste sábado (23).

A presidente Dilma Rousseff reuniu-se com os ministros Antonio Patriota (Relações Exteriores), Celso Amorim (Defesa) e Edison Lobão (Minas e Energia) e o assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia para tratar da questão paraguaia.

Após o encontro, o Itamaraty redigiu uma nota: “O governo brasileiro condena o rito sumário de destituição do mandatário do Paraguai, decidido em 22 de junho último, em que não foi adequadamente assegurado o amplo direito de defesa. O Brasil considera que o procedimento adotado compromete pilar fundamental da democracia, condição essencial para a integração regional”, afirma o texto.

Na mesma nota, o Itamaraty afirma que “o governo brasileiro não tomará medidas que prejudiquem o povo irmão do Paraguai”.

Uruguai

O presidente uruguaio, José Mujica, se reuniu hoje com o chanceler paraguaio no Uruguai, Luis Almagro. Assim como o Brasil, o governo uruguaio convocou seu embaixador no Paraguai. Pelo Twitter, a Secretaria de Comunicação da Presidência afirmou que, para o ministro de Relações Exteriores do país, “a imposição de um novo presidente nestas condições não condiz com as práticas democráticas fundamentais.”

Almagro afirmou que o Uruguai espera que o Paraguai “convoque o mais rápido possível seu povo para eleger autoridades.”

Argentina

Em comunicado oficial, a chancelaria da Argentina afirma que a destituição do mandatário representou “uma ruptura da ordem democrática”. Frente aos graves acontecimentos institucionais ocorridos no Paraguai que culminaram com a destituição do presidente constitucional Fernando Lugo e a ruptura da ordem democrática, o governo argentino retira imediatamente seu embaixador em Assunção”, afirma o comunicado.

A retirada do embaixador argentino ocorre no momento em que o novo presidente, Federico Franco, busca convencer os integrantes do Mercosul e de outros países vizinhos a reconhecerem o governo paraguaio. Franco encarregou o recém-nomeado chanceler, José Feliz Fernandes Estigarribia, para buscar a aproximação.

Estigarribia está tentando marcar uma reunião com representantes de Brasil, Uruguai e Paraguai em Mendoza, na Argentina, onde será realizado o encontro oficial da Cúpula do Mercosul a partir de terça-feira. No encontro, os mandatários dos três países devem discutir a situação do Paraguai. Ontem, Dilma Roussff chegou a sugerir que o país seja expulso do grupo.

Mais Internacional