PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Autoridades negam que suspeito de Boston tenha sido preso

Do UOL, em São Paulo

17/04/2013 15h48Atualizada em 17/04/2013 16h33

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a polícia de Boston e o FBI negaram na tarde desta quarta-feira (17) que um suspeito dos atentados de Boston tenha sido preso. Duas explosões em local próximo à linha de chegada da Maratona de Boston deixaram três mortos e 176 feridos na última segunda (15).

A notícia foi veiculada mais cedo pela rede de TV CNN, pelo jornal “Boston Globe” e pela agência de notícias Associated Press --a informação já foi corrigida pela CNN.

Embora tenha sido identificado, o suspeito de ser o autor dos ataques ainda não foi capturado. Ele foi identificado por uma imagem de vídeo captada por uma câmera de uma loja próxima ao local de explosão da segunda bomba, e ainda não está claro se ele agiu sozinho ou se pertence a algum grupo nacional ou internacional.

As imagens obtidas pela polícia mostram uma pessoa carregando uma mochila preta na rua onde as duas bombas explodiram, mas o vídeo ainda não foi disponibilizado.

A identificação de um possível suspeito é a primeira grande revelação divulgada publicamente sobre a investigação. Investigadores recolheram milhares de evidências, que vão de fotos tiradas de telefones celulares na hora da explosão a pedaços de estilhaços retirados das pernas das vítimas.

Mais informações serão divulgadas ainda hoje pelos órgãos oficiais que investigam o caso, por volta das 17h do horário local (18h em Brasília), em uma coletiva de imprensa.

Bombas

As duas explosões ocorreram com poucos segundos de intervalo, na segunda-feira, junto à linha de chegada da maratona. Muitas vítimas sofreram amputações, e 17 continuam internadas em estado grave.

As autoridades suspeitam que as bombas tenham sido preparadas com pólvora e objetos metálicos colocadas dentro de panelas de pressão.

Instruções sobre como fazer bombas usando panelas de pressão foram publicadas há três anos na revista on-line Inspire, ligada à Al Qaeda, segundo informações divulgadas pelo jornal norte-americano "USA Today". O artigo leva o nome de "Como fazer uma bomba na cozinha da sua mãe".

O presidente dos EUA, Barack Obama, que viaja na quinta-feira (18) a Boston para uma cerimônia em homenagem às vítimas, chamou o episódio de "ato de terror". (Com agências internacionais)

Vídeo mostra momento da explosão na Maratona de Boston

Duas bombas explodem durante Maratona de Boston, nos EUA

Internacional