Topo

CarnaUOL

São Paulo


Vai-Vai e Tucuruvi são rebaixadas para o Grupo de Acesso em São Paulo

Ricardo Matsukawa/UOL
Erika Januza estreia na Vai-Vai com fantasia representando Iemanjá Imagem: Ricardo Matsukawa/UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

2019-03-05T17:20:29

05/03/2019 17h20

A Vai-Vai e a Acadêmicos do Tucuruvi não conseguiram se manter no Grupo Especial do Carnaval e desfilarão no Grupo de Acesso no ano que vem. A apuração das notas dos desfiles das escolas de São Paulo ocorreu hoje no Sambódromo do Anhembi.

Uma das escolas mais tradicionais de São Paulo, sendo a detentora do maior número de títulos no Carnaval paulistano, com 15 títulos, a Vai-Vai ficou em último lugar, com 268,8 pontos. Esta é a primeira vez que a Vai-Vai é rebaixada. A Tucuruvi ficou em penúltimo, com 269,2 pontos, empatada com a Tom Maior, que perdeu no critério de desempate. Neguitão, presidente da Vai-Vai, deixou o Anhembi após a apuração sem falar com ninguém.

 A Mancha Verde foi campeã do Carnaval, conquistando 270 pontos. A escola levou para a avenida o samba-enredo "Oxalá, Salve a Princesa! A Saga de uma Guerreira Negra", retratando a luta pelos direitos dos negros e das mulheres.

Homenagem a Marielle

Com um enredo de forte cunho social, a Vai-Vai retratou a luta dos negros por justiça e igualdade. Com o samba-enredo "Vai-Vai, o Quilombo do Futuro", a escola homenageou figuras como Barack Obama, Nelson Mandela e a vereadora carioca Marielle Franco, assassinada no ano passado.

Uma das alas, chamada "Eu Tenho um Sonho", trazia diversos cartazes que remetiam às lutas dos negros, que ao serem unidos, formavam uma foto da vereadora, com a frase "Marielle Presente!", hino de diversos movimentos sociais.

A atriz Érika Januza foi um dos destaques da escola e desfilou no Anhembi pela primeira vez, representando Iemanjá com um figurino feito de zircônia e cristais. "A gente ensaia tanto e passa tudo tão rápido. Foi maravilhoso, é uma euforia. É um enredo tão necessário e é uma coisa tão importante. Carnaval é entretenimento, mas também podemos trazer uma mensagem [como a de Marielle] na avenida", declarou a atriz.

Apesar de elogiada por suas alegorias e energia na avenida, a escola teve um mau desempenho no quesito comissão de frente, onde obteve duas notas 9,7. A escola também perdeu pontos no quesito fantasia.

Crítica política

A Acadêmicos do Tucuruvi pisou na avenida com um forte enredo político. Com o samba-enredo "Liberdade - O Canto Retumbante de um Povo Heroico", a escola relembrou a história brasileira falando sobre a escravidão e criticou a homofobia, a violência contra a mulher, a classe política e o sistema de Justiça brasileiro.

Com 3.000 componentes, 22 alas e cinco carros alegóricos, a Tucuruvi superou a tragédia ocorrida na edição do Carnaval do ano passado, quando um incêndio destruiu 90% das fantasias da escola dias antes do desfile de 2018. Por conta do incidente, a escola ficou imune ao rebaixamento na edição do Carnaval daquele ano.

Mais São Paulo