Topo

CarnaUOL

São Paulo


Pérola Negra homenageia Marielle Franco em desfile campeão, e musa comemora

A vereadora Marielle Franco, assassinada há quase um ano no Rio de Janeiro, é homenageada pela Pérola Negra no Desfile das Campeãs - Paulo Pacheco/UOL
A vereadora Marielle Franco, assassinada há quase um ano no Rio de Janeiro, é homenageada pela Pérola Negra no Desfile das Campeãs Imagem: Paulo Pacheco/UOL

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

09/03/2019 00h08

A vereadora Marielle Franco, assassinada há quase um ano no Rio de Janeiro, ganhou homenagem da Pérola Negra, campeã do Grupo de Acesso em São Paulo. Uma foto da ativista estampou as costas do último carro da escola no desfile das campeãs.

A Pérola Negra cantou contra o racismo com o enredo "Da Majestosa África, tu és negra mulher guerreira, a verdadeira Pérola Negra". O samba e o ativismo encheram de orgulho a musa da escola, Dila Nascimento. De volta à agremiação depois de cinco anos, ela representou a guerreira africana Makeda na avenida.

Dila Nascimento é musa da Pérola Negra, campeã do Grupo de Acesso em São Paulo - Paulo Pacheco/UOL
Dila Nascimento é musa da Pérola Negra, campeã do Grupo de Acesso em São Paulo
Imagem: Paulo Pacheco/UOL
"É um tema que precisa ser tratado e exaltado. O Brasil respeitou, e não foi à toa que as escolas que falaram de negritude, de minorias, ganharam esse ano. Carnaval é cultura, e acho que esse ano ficou bastante evidente que tivemos isso. Eu me senti honrada, outras mulheres se sentiram representadas quando me viram na avenida, sem brilho, sem luxo. Eu quis representar com pele, com emoção, com coração", conta a musa, que torceu pela Mangueira no Rio.

"No Carnaval do Rio, eu gosto dos temas. A Mangueira me representou por inteira. Foi arte pura. Ganhei duas vezes", explica Dila. A Mangueira também homenageou Marielle na Sapucaí.

Aos 28 anos, a musa exalta o desfile de superação da escola da Vila Madalena, zona oeste da capital.

"A Pérola veio de uma situação muito difícil, mas quando saímos da avenida sabíamos que tínhamos ganhado, porque o Carnaval foi feito dentro da pista. Passamos por quatro enchentes, uma a dois dias do desfile, e mesmo assim fizemos um Carnaval merecedor", elogia.

Mais São Paulo