Conteúdo publicado há 25 dias
Carlos Madeiro

Carlos Madeiro

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

De frentista a rica com Jogo do Tigrinho: conheça influencer presa em AL

A influenciadora alagoana Paulinha Ferreira teve uma carreira de sucesso meteórica nas redes sociais, que começou quando ela era frentista de posto de combustível em meados de 2018, e a levou a se tornar uma referência em divulgação de jogos como o do tigrinho em Alagoas, o que a tornou rica.

Presa nesta terça-feira (25) com o marido em um condomínio de luxo em Marechal Deodoro (Grande Maceió), ela é suspeita de integrar uma suposta organização criminosa que usava o jogo do tigrinho para dar golpe nas pessoas. Horas depois, a Justiça alagoana mandou soltar a influenciadora e o marido dela, Ygor Yuri Ferreira de Oliveira.

Para a polícia, Paulinha pode ter recebido informações privilegiadas que a levaram a deixar o Brasil às vésperas da operação Game Over, que tinha ela e o marido como alvos e foi deflagrada no último dia 17 de junho. Eles compraram passagem dia 13 e viajaram já no dia 14 para Dubai.

A polícia investiga se ela teria feito alguma ocultação de bens ou valores antes do bloqueio de bens pedido à Justiça. O pedido de prisão foi baseado nessa suspeita.

Apesar da soltura, Paulinha e o marido terão que cumprir medidas cautelares. Segundo a Justiça alagoana, ambos devem entregar seus passaportes e comparecerem ao Juízo mensalmente. Eles também estão proibidos de entrar em contato com outros investigados da operação.

A Justiça alegou "intenção (dos investigados) de colaborar com as autoridades". Para a mulher, pesou o fato de ser mãe de filhos menores de 18 anos. Já Ygor, que é advogado, acenou para uma possível "colaboração premiada".

Quem é ela?

Paulinha morava no bairro do Clima Bom, periferia de Maceió, e se tornou uma das influencers mais conhecidas de Alagoas.

Ela era frentista de um posto de combustíveis e começou a vida de digital influencer fazendo provador de roupas de lojas de Maceió.

Continua após a publicidade

Pouco tempo depois, com seus vídeos fazendo sucesso nas redes, ela conseguiu abrir uma loja própria no bairro popular do Jacintinho. Depois, abriu uma loja maior, no bairro do Tabuleiro do Martins.

A fama com suas postagens viralizavam a fez ganhar seguidores: ela tinha 996 mil seguidores no Instagram quando sua conta - e a do marido -, foi derrubada por ordem judicial.

Entretanto, a vida financeira parece ter mudado quando ela começou a fazer divulgação do jogo do tigrinho, em 2022. "Ela entrou nesse mundo de jogos e ficou milionária praticamente no mês seguinte", conta uma pessoa que acompanha ela.

Postagens de Paulinha mostrava sempre grandes ganhos e "sorte" nos jogos
Postagens de Paulinha mostrava sempre grandes ganhos e "sorte" nos jogos Imagem: Reprodução

Paulinha usava muito o nome de Deus ao postar vídeos mostrando "ganhos" nos jogos nas plataformas que anunciava e, de repente, começou a fazer postagens ostentando alto luxo de bens, como carros e lancha, além de viagens. "O céu é o limite quando Deus promete, ele faz", dizia ela em sua bio do Instagram.

Entre as ostentações, ela também fazia postagens com vídeos com ações sociais ajudando pessoas —outra marca conhecida dela.

Continua após a publicidade

Casamento rápido

A partir do ingresso no mercado de publicidade de jogos, Paulinha contratou um escritório de advocacia e foi aí que conheceu o atual marido, o advogado Ygor Ferreira, que também se tornou um divulgador das plataformas de jogos.

A relação fluiu de forma rápida, e pouco depois de se separar do ex-marido, com quem tem um filho, eles se casaram em outubro de 2023 em uma festa de alto luxo em uma casa de eventos de Maceió. Antes, fizeram um ensaio fotográfico do noivado em Paris.

Ana Paula e Ygor foram presos em operação contra 'Jogo do Tigrinho'; eles eram investigados por estelionato
Ana Paula e Ygor foram presos em operação contra 'Jogo do Tigrinho'; eles eram investigados por estelionato Imagem: Closet da Paulinha/Instagram e iPodecast/Youtube

Em entrevista no IPodecast, em abril do ano passado, Paulinha contou que tem ligação com essas plataformas chinesas e que entrou nesse mundo de divulgação dos jogos após contato de um amigo. Ela diz que sempre que gostou muito de apostar e muitas vezes perdida dinheiro.

Com as plataformas chinesas que ela divulga, diz que sua vida "mudou do dia para a noite." "O multiplicador desses jogos é bem diferente, quando você menos espera, ganha muito", disse.

Continua após a publicidade

Uma das supostas vítimas de Paulinha procurou a polícia: a desempregada Lúcia (nome fictício), que chegou a ganhar R$ 95 mil em uma das plataformas indicadas por Paulinha, mas não recebeu o dinheiro. Ela processa Paulinha por danos morais e cobra o pagamento do prêmio. Em um vídeo, a influenciadora alegou que o prêmio foi "um bug" do site.

O UOL procurou nesta segunda-feira o advogado de Paulinha e do marido, Rodrigo Monteiro, mas ele não pronunciou sobre a prisão.

Na última sexta-feira (21), em contato com a coluna, a defesa disse que a influenciadora apenas fazia publicidade do jogo, seguindo as normas do Conar e dentro do que prevê a lei de 2023 sobre aposta de cota fixa - que é aquela de ganhos sabidos antes pelo usuário.

Ela não é a dona da plataforma, apenas divulgava. Então quem tem de responder por saques ou problemas do tipo são os proprietários, não quem faz propaganda.
Rodrigo Monteiro

Investigação aponta fraudes

As investigações da Polícia Civil de Alagoas mostraram que influenciadores que faziam propaganda para o Jogo do Tigrinho e similares recebiam uma conta diferenciada dos demais usuários das plataformas, que dava acesso a uma aposta que seria "viciada em ganhar".

Continua após a publicidade
Print 2
Print 2 Imagem: Reprodução

A Operação Game Over, deflagrada na segunda-feira da semana passada, mirou 12 alvos e pediu apreensão no valor de R$ 38 milhões —montante movimentado desde outubro de 2023, quando a apuração teve início. Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal. Carros de luxo, lancha e dinheiro foram apreendidos.

A investigação também apontou que os proprietários das plataformas mudam sempre as páginas e links para buscarem manter apostadores. O delegado explica que isso ocorre porque as pessoas, ao perceberem que estão perdendo dinheiro, "passam a desacreditar daquela plataforma."

Os proprietários, que geralmente são chineses, criam as plataformas e delas lançam os links de acesso para jogar e o link 'demo'. Eles exploram por um tempo e depois derrubam e criam outras, que vão mudando o nome.
Lucimério Campos

Siga UOL Notícias no

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deixe seu comentário

Só para assinantes