PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Americano testemunha atentado de Boston e explosão no Texas

Joe Berti se considera sortudo por ter passado ileso a duas tragédias norte-americanas - Eric Gay/AP -
Joe Berti se considera sortudo por ter passado ileso a duas tragédias norte-americanas Imagem: Eric Gay/AP -

Do UOL, em São Paulo

24/04/2013 10h20

O norte-americano Joe Berti havia acabado de completar a maratona de Boston quando viu uma bomba ser detonada perto da linha de chegada. Dois dias depois, ele dirigia por uma estrada próxima a Waco, no Texas, quando foi surpreendido pela explosão de uma fábrica.

Berti saiu dos dois eventos sem nenhum arranhão. Mais do que isso, sua mulher e amigos que também participavam da maratona de Boston também não se feriram.

Por isso, não se considera azarado por estar no local das duas maiores tragédias americanas deste ano.

Em Boston, no último dia 15, três pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas.

Personagens da tragédia

  • Reprodução/The Boston Globe

    Irmãos que assistiam à Maratona de Boston perdem uma perna cada um

  • Reprodução/Facebook

    Estudante chinesa morta na Maratona de Boston é identificada

  • Reprodução/Boston Globe

    Criança de 8 anos morta em ataque esperava o pai na chegada da maratona

  • Reprodução

    Dançarina que perdeu pé no atentado de Boston quer voltar a dançar

  • Charles Krupa/AP

    Homem que tentou suicídio após filho morrer no Iraque vira herói

  • Reprodução/Facebook

    Mulher de 29 anos é a segunda vítima fatal da Maratona de Boston

Já no Texas, dois dias depois, a explosão deixou 14 mortos e cerca de 200  feridos.

“É um milagre. As pessoas me perguntam se me sinto sem sorte e digo que o oposto acontece. Sou abençoado porque minha mulher estava pertinho da explosão e não se feriu”, contou, em entrevista à Associated Press.

O americano competiu em Boston para auxiliar uma organização que ajuda crianças que sofrem de doenças raras.

Ele conta que nos últimos quilômetros de prova, se cansou, mas seguiu em frente pensando nos pequenos pacientes.

“Pouco tempo depois de cruzar a linha de chegada, escutei a primeira explosão. Me virei e vi a fumaça. Na hora, percebi que se tratava de uma bomba. Daí, veio a segunda explosão e as pessoas começaram a correr”, descreveu.

Berti, então, começou a se preocupar com sua mulher. Eles tinham combinado se encontrar em um restaurante da cidade. Amy Berti, na verdade, estava ainda mais perto da linha de chegada. Ela tinha acabado de tirar uma foto do marido quando a bomba explodiu.

Amy chegou a ser atingida por um estilhaço, mas não se feriu. Uma mulher que assistia à maratona do seu lado acabou perdendo a perna e dedos da mão esquerda.

Depois de ajudar a espectadora ferida, Amy passou a procurar o marido.

“Eu vi que ele tinha conseguido cruzar a linha de chegada onde estava a bomba, então não sabia ao certo se ele tinha escapado”, disse.

O casal conseguiu se encontrar apenas uma hora depois no hotel. Eles deixaram Boston e seguiram para o Austin, no Texas, onde moram com suas duas filhas de oito e 11 anos.

Dois dias depois do atentado de Boston, Berti já estava trabalhando normalmente. Após uma reunião em Dallas, ele estava passando por uma estrada próxima à cidade de Waco quando viu uma fumaça escura na janela.

Berti se aproximou e e viu a segunda explosão na fábrica de fertilizantes em West, no Texas. Ele parou o carro e tirou uma foto, mas logo partiu, com medo de se ferir.

“Alguma coisa caiu no teto do meu carro e eu resolvi voltar para casa”, contou.

Desta vez, Berti conseguiu rapidamente avisar a mulher que estava bem e que logo estariam juntos. 

Internacional