Topo

Bolsonaro vai à praia para ver homenagem de pilotos militares

Hanrrikson de Andrade e Gustavo Maia

Do UOL, no Rio

2018-10-31T12:04:54

2018-10-31T22:35:22

31/10/2018 12h04Atualizada em 31/10/2018 22h35

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), dirigiu-se na manhã desta quarta-feira (31) ao Posto 4 da praia da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, para acompanhar uma performance da Esquadrilha Céu, clube de aviação que reúne militares da ativa e da reserva da FAB (Força Aérea Brasileira).

A exibição foi realizada pelo grupo em homenagem ao presidente eleito. Bolsonaro é capitão reformado do Exército e tem sua carreira política fortemente vinculada à imagem das Forças Armadas.

Os militares fizeram uma exibição de aproximadamente 15 minutos, com deslocamentos simples e lançamento de fumaça no ar.

Bolsonaro acompanhou a performance do espaço destinado aos salva-vidas do Posto 4. Ele vestia colete à prova de balas sob a camisa de malha branca com listras azuis.

Leia também

Segundo a assessoria da esquadrilha, a ideia original era fazer uma apresentação mais elaborada, já que o grupo é capacitado para realizar performances semelhantes às da Esquadrilha da Fumaça, da FAB. No entanto, para tal, eles precisariam de uma autorização especial.

O objetivo inicial era escrever no céu a sigla “B17”, que remete ao nome do presidente eleito e o número de urna do PSL. No entanto, para fugir da burocracia, os pilotos optaram por uma exibição menos sofisticada.

Ao sair de casa, o presidente percorreu cerca de um quilômetro em um comboio reforçado em comparação com os seus últimos deslocamentos. Enquanto esteve no Posto 4, ele ficou rodeado de policiais federais que fazem sua segurança há meses.

Agentes do COT (Comando de Operações Táticas), tropa de elite da Polícia Federal, acompanharam Bolsonaro e ficaram no topo do posto vestidos com uniformes camuflados.

Eles estavam fortemente armados e observaram a movimentação com binóculos.

No calçadão, o humorista Paulo Cesar Rocha, conhecido personagem "Paulo Cintura" da Escolinha do Professor Raimundo, gritou “Bolsonaro” e o presidente eleito pediu que os seguranças permitissem que ele subisse na plataforma de observação. Amigos, os dois se abraçaram.

Na saída da praia, Bolsonaro ignorou perguntas de jornalistas sobre a visita do juiz federal Sergio Moro, prevista para esta quinta-feira (1°). O magistrado é cotado para assumir o Ministério da Justiça.

Desde a vitória nas eleições, no domingo, essa foi a terceira vez que ele saiu de casa, em um condomínio de luxo na orla da Barra da Tijuca.

Na segunda-feira (29), ele recebeu poucos aliados e concedeu entrevistas a emissoras de TV.

Nesta terça (30), ele foi até o Jardim Botânico, na zona sul, participar de uma reunião sobre a equipe de transição, e mais tarde foi a um culto do pastor Silas Malafaia.

Mais Política