PUBLICIDADE
Topo

Tragédia em Brumadinho

Vale: Executivo nega diálogo com engenheiro que atestou estabilidade de barragem

05.02.2019 - Após vazamento de lama da barragem da Vale, carro é encontrado com as rodas para cima no rio Paraopeba, em Brumadinho (MG) - Dvigulgação/Corpo de Bombeiros de Minas Gerais
05.02.2019 - Após vazamento de lama da barragem da Vale, carro é encontrado com as rodas para cima no rio Paraopeba, em Brumadinho (MG) Imagem: Dvigulgação/Corpo de Bombeiros de Minas Gerais

Leonardo Augusto

Em Belo Horizonte, especial para O Estado

07/02/2019 16h42

O executivo da Vale Alexandre Campanha prestou depoimento à força-tarefa que investiga o rompimento da barragem 1 na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte. Campanha foi citado pelo engenheiro Makoto Namba, da Tüv Süd, que disse ter se sentido pressionado por Campanha para assinar documento atestando a estabilidade da barragem. Em depoimento, Campanha negou ter travado o diálogo com o responsável pelo laudo da barragem.

Alexandre Campanha é gerente executivo corporativo da Vale e, segundo depoimento de Namba à Polícia Federal, fez pressão para que este assinasse o documento. "A Tüv Süd vai assinar ou não", teria dito Campanha, segundo Namba. O engenheiro, então, disse ter respondido que assinaria se a Vale adotasse recomendações que fez em revisão periódica de junho de 2018. Namba afirmou ainda ter assinado o laudo e que se sentiu sob risco de perder o contrato.

Namba e outro engenheiro da Tüv Süd, André Jum Yassuda, e três executivos da Vale estão presos desde o dia 29 de janeiro na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG), na região metropolitana Belo Horizonte. Na terça-feira (5), o STJ (Superior Tribunal de Justiça) concedeu habeas corpus para o grupo, que deixou a prisão nesta quinta-feira (7).

Em 2015, Campanha, que é mineiro e trabalha há 23 anos na mineradora, aparecia como diretor de operações da Vale no Pará, conforme informações da prefeitura de Canaã dos Carajás, município 765 quilômetros ao sul de Belém. À época, ainda segundo a prefeitura, o executivo da Vale ficaria responsável por projeto batizado de S11D, localizado no município. Campanha também tem passagem pela Vale em Mato Grosso do Sul.

Tragédia em Brumadinho