PUBLICIDADE
Topo

8 deputados federais se elegem prefeito ou vice no 2º turno; veja a lista

29.nov.2020 - João Campos comemora vitória ao lado da namorada, a deputada Tabata Amaral, em Recife - Beto Macário/UOL
29.nov.2020 - João Campos comemora vitória ao lado da namorada, a deputada Tabata Amaral, em Recife Imagem: Beto Macário/UOL

Hanrrikson de Andrade e Marcelo Oliveira

Do UOL, em Brasília, e do UOL, em São Paulo

29/11/2020 22h48Atualizada em 30/11/2020 10h27

Dos 15 congressistas que foram para o segundo turno nas eleições municipais, 8 deputados federais se elegeram para prefeito ou vice-prefeito hoje.

Entretanto, um deles ainda não pode comemorar: Wladimir Garotinho (PSD) ganhou em Campos dos Goytacazes (RJ), mas a vitória eleitoral ainda terá que ser confirmada pela Justiça, pois a candidatura de seu vice, Frederico Paes (MDB), foi questionada judicialmente.

Dos 69 parlamentares que disputaram as eleições municipais (67 deputados federais e 2 senadores), apenas 12 (17,39%) venceram nas urnas — quatro no primeiro turno e oito no segundo turno

Em primeiro turno foram eleitos os deputados federais:

  • Alexandre Serfiotis (PSD), em Porto Real (RJ);
  • Roberto Pessoa (PSDB), em Maracanaú (CE);
  • Paulo Marinho Jr. (PL), em Caxias (MA);
  • e Juninho do Pneu (DEM), eleito vice-prefeito em Nova Iguaçu (RJ).

No segundo turno, além de Garotinho, venceram:

  • João Campos (PSB), no Recife;
  • Margarida Salomão (PT), em Juiz de Fora (MG);
  • Deuzinho Filho (Republicanos), vice em Caucaia (CE);
  • JHC (PSB), em Maceió;
  • Sérgio Vidigal (PDT), em Serra (ES);
  • Eduardo Braide (Podemos), em São Luís;
  • Edmilson Rodrigues (PSOL), em Belém.

Recife teve guerra pelo trono de Arraes

Um dos destaques do segundo turno foi o duelo de sangue entre dois familiares do ex-governador pernambucano Miguel Arraes: os deputados federais Marília Arraes (PT) e João Campos (PSB). Marília é neta de Arraes e Campos, bisneto.

Os primos disputaram uma das eleições mais acirradas da história do Recife. O confronto familiar foi marcado por rompimentos, troca de acusações e sentimento antipetista.

Campos venceu o duelo, com 56,27% dos votos e se despede de Brasília.

Juiz de Fora (MG)

Em Juiz de Fora, a deputada federal Margarida Salomão (PT) obteve 54,98% dos votos e bateu Wilson Rezato (PSB).

Professora emérita da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Margarida tem 70 anos e exerce mandato de deputada federal desde 2013. Essa é a quarta vez que ela disputa a Prefeitura de Juiz de Fora. Em 2016, foi derrotada no segundo turno por Bruno Siqueira (MDB).

Feira de Santana (BA)

Em Feira de Santana, o embate do segundo turno foi protagonizado por partidos que até pouco tempo eram grandes aliados na conjuntura política nacional: PT e MDB.

O deputado federal Zé Neto (PT), obteve 41,55% dos votos válidos na primeira etapa do pleito, mas no segundo turno, não foi páreo para o prefeito Colbert Martins, que venceu com 54,42% dos votos válidos.

Joinville (SC)

Concorrente à Prefeitura de Joinville, o deputado federal Darci de Matos teve 25,30% dos votos válidos no primeiro turno, pouco mais de dois pontos percentuais em relação ao adversário no segundo turno, Adriano Silva (Novo).

No segundo turno, Silva obteve a virada e venceu com 55,43% dos votos.

Campos dos Goytacazes (RJ)

Em Campos, na região norte fluminense, o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD), filho do ex-governador Anthony Garotinho, despontou como favorito para o segundo turno, após vencer Caio Vianna (PDT), com 42,96% dos votos.

Representante da família Garotinho, que tem forte tradição eleitoral na cidade, Wladimir concorreu com a chapa sub júdice — ou seja, com pendências na Justiça Eleitoral.

O impasse se dá por conta do vice, Frederico Paes (MDB), que foi impugnado há duas semanas do primeiro turno devido a irregularidades relativas ao prazo de sua desincompatibilização da direção de um hospital.

No voto, o deputado federal teve 52,40% dos votos e a cidade agora esperará o resultado final na Justiça.

Caucaia (CE)

Em Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, o deputado federal Deuzinho Filho (Republicanos) foi candidato a vice na chapa de Vitor Valim (Pros), que venceu a eleição, com 51,08% dos votos.

Maceió

O deputado federal JHC (PSB) despontou como favorito em Maceió antes do domingo da eleição, de acordo com os números levantados pelo Ibope na sexta-feira (27).

O voto confirmou as pesquisas, e JHC bateu Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) com 58,64% dos votos.

Serra (ES)

Outro deputado federal cuja situação se mostrava encaminhada antes do segundo turno era Sérgio Vidigal (PDT), que aparecia à frente em Serra (ES), com 62% dos votos válidos. O adversário, Fábio (Rede), registrava 38%.

As urnas confirmaram a vitória do deputado federal no segundo turno, com 54,9% dos votos.

Boa Vista

Na capital de Roraima, o deputado federal Ottaci (Solidariedade) foi derrotado por ampla margem de votos por Arthur Henrique (MDB). Ottaci teve apenas 14,64% dos votos válidos.

Fortaleza

Na capital do Ceará, o deputado federal Capitão Wagner (Pros), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), perdeu para José Sarto (PDT), apoiado pelo clã dos irmãos Ciro e Cid Gomes, que teve 51,69% dos votos.

São Luís

Na capital do Maranhão, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) venceu com 55,53% dos votos.

A reta final da eleição em São Luís evidenciou um racha na base de apoio do governador Flávio Dino (PCdoB). Parte de seus ex-secretários que saíram candidatos em 2020 anunciaram apoio e estão participando da campanha de Braide. Dino, por sua vez, apoiou Duarte Júnior, derrotado hoje à noite.

Belém

O segundo turno foi apertado em Belém, com os concorrentes Edmilson Rodrigues (PSOL) e Eguchi (Patriota) em patamar de igualdade.

Rodrigues venceu por uma margem apertada, com 51,76% dos votos.

Goiânia

Internado há quase um mês com covid-19, Maguito Vilela (PSDB), ocupa um leito de UTI em um hospital particular de São Paulo.

Mesmo inconsciente, Maguito venceu com 52,6% dos votos o senador Vanderlan Cardoso (PSD).

Goiânia foi a capital com o maior índice de abstenção no segundo turno: 36,75% dos eleitores não votaram.

São Paulo

A deputada federal Luiza Erundina (PSOL) era vice na chapa de Guilherme Boulos (PSOL), que disputou e perdeu a Prefeitura de São Paulo para o reeleito Bruno Covas (PSDB).

Aos 85 anos (completa 86 amanhã), Erundina já foi prefeita da cidade entre 1989 e 1992. Boulos e ela tiveram 40,62% dos votos no segundo turno.

Errata: o texto foi atualizado
Os primos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) são, respectivamente, bisneto e neta do ex-governador pernambucano Miguel Arraes. A informação foi corrigida