PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Suspeitos de ataque em Boston aprenderam a fazer bomba em revista da Al Qaeda, diz TV

Do UOL, em São Paulo

23/04/2013 12h37

Dzhokhar Tsarnaev, 19, acusado de ter executado o atentado em Boston na semana passada, afirmou que, ao lado de seu irmão, construiu as bombas usando uma explicação publicada em um revista online ligada à Al Qaeda, fontes ligadas à Justiça federal disseram à NBC News.

A revista usada pelos irmãos é a Inspire, uma publicação online da Al Qaeda escrita em inglês desde 2010.

Por duas vezes, a revista publicou artigos que ensinavam a fabricar uma bomba usando uma panela de pressão

Tsarnaev está com a garganta ferida e não consegue falar. Por isso, para se comunicar, apenas balança a cabeça ou escreve em uma folha de papel.

O suspeito está hospitalizado em Boston sob vigilância armada. Ele recebe tratamento para ferimentos sofridos durante a perseguição que resultou em sua captura na última sexta-feira (19). A captura do jovem encerrou uma caçada humana que paralisou a região metropolitana de Boston durante cerca de 20 horas.

Tsarnaev também disse que ele e seu irmão, Tamerlan, 26, não tinham contatos com grupos terroristas e que atuaram por motivos religiosos.

Na segunda-feira (22), um juiz federal foi ao hospital onde Tsarnaev está internado, leu seus direitos e o acusou de "uso de arma de destruição em massa" contra pessoas e propriedades.

Tamerlan morreu na noite de quarta-feira para quinta-feira passada durante um tiroteio com a polícia dois dias depois que duas bombas, detonadas ao fim da maratona de Boston, mataram três pessoas e feriram mais de 180 pessoas.

Desde a semana passada, pessoas que conheciam os irmãos Tsarnaev disseram à imprensa que Tamerlan havia adotado há cerca de cinco anos uma posição islâmica extremista.

O FBI informou que os dois suspeitos, que detonaram nas ruas de Boston duas bombas confeccionadas com panelas de pressão, tinham armas de fogo, munição e outros artefatos explosivos.

O arsenal sugere que os suspeitos planejavam outros ataques.

Captura nos EUA teve câmera especial e robô; reveja

Internacional