PUBLICIDADE
Topo

Política

Depoimentos dos réus são irrelevantes, diz procuradora do MPF em Goiânia

Rafhael Borges

Do UOL, em Goiânia

25/07/2012 12h57

A procuradora do Ministério Público Federal Léa Batista, afirmou no intervalo da audiência da Operação Monte Carlo desta quarta-feira (25), em Goiânia, que é irrelevante o depoimento dos réus, inclusive de Carlinhos Cachoeira.

“Temos muitas provas no processo, e se eles não falarem, o que é um direito constitucional, não vai mudar o andamento do julgamento”, afirmou a procuradora, para quem a defesa tenta, a todo o momento, desqualificar o trabalho realizado pelo MPF e pela Polícia Federal.

Segundo ela, as testemunhas escolhidas pela acusação foram para esclarecer pontos técnicos da investigação, e não para proferir julgamentos de valor. “A defesa tem conseguido o efeito protelatório que eles pretendiam, mas não vai mudar nada na hora do julgamento.”

Léa Batista comentou ainda que não há nenhuma irregularidade na prisão de Carlinhos Cachoeira. “A organização ainda não foi desarticulada, e o réu é o chefe da organização, por isso ele deve permanecer preso.”

Para o Ministério Público Federal, todos os outros acusados também deveriam estar presos. O juiz do caso, Alderico Rocha Santos, não deu prazo para publicar a sentença, mas acredita quem em no máximo 30 dias pode sair o julgamento.

O caso

Carlinhos Cachoeira é acusado de chefiar uma quadrilha que comandava jogos ilegais, principalmente em Goiás, e de usar de influência com parlamentares, como o ex-senador Demóstenes Torres, para manipular licitações e facilitar a entrada de empresas supostamente ligadas a ele e outros aliados nos governos do Distrito Federal, Rio de Janeiro e Goiás.

Pelas suspeitas de envolvimento com Cachoeira, Demóstenes teve o mandato cassado no último dia 11. Os governadores Agnelo Queiroz (PT-DF), Sérgio Cabral (PMDB-RJ) e Marconi Perillo (PSDB-GO) foram citados em escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal durante as operações Vegas e Monte Carlo.

Os envolvidos assumem ter falado com Cachoeira em algumas situações e motivos diversos, mas negam envolvimento nas ações do bicheiro.

Política