PUBLICIDADE
Topo

Tragédia em Brumadinho

Lama cobriu área superior a 300 campos de futebol em Brumadinho, diz Ibama

Wellington Ramalhoso

Do UOL, em Brumadinho

29/01/2019 19h18

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) estima que a lama que vazou da barragem da Vale em Brumadinho (MG) cobriu uma área de 270 hectares, o equivalente a mais de 300 campos de futebol.

Praticamente metade dessa área (134 hectares) é de vegetação natural, sendo que 70 hectares estão em área de proteção permanente, diz o instituto nesta terça-feira (29).

Mapa Brumadinho - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL
Os dados fazem parte de um mapeamento preliminar feito pelo órgão federal. Se não houver outro acontecimento, diz o órgão, estes números serão os definitivos.

Segundo Fernanda Pirillo, coordenadora geral de Emergência Ambiental do Ibama, a mancha de lama no Paraopeba já está a 60 quilômetros do ponto inicial.

Apesar da gravidade da situação, a coordenadora diz que ainda é cedo para apontar o nível do dano ambiental.

"O Ibama tem acompanhado diariamente por meio de sobrevoos o deslocamento da lama. Também está fazendo incursões terrestres para avaliar o impacto ambiental", diz Fernanda.

"Identificamos hoje (terça-feira) um acúmulo de peixes mortos em uma aldeia indígena e determinamos à Vale que faça o recolhimento", afirma.

A aldeia fica a seis quilômetros da barragem, às margens do Paraopeba.

Sacrifício e resgate de animais

O Ibama está com 26 agentes em Brumadinho, sendo que dez passaram a acompanhar nesta terça-feira (29) "todo e qualquer resgate de fauna", nas palavras de Fernanda.

Este acompanhamento passa a ser feito um dia depois da revelação de que animais atolados foram sacrificados por equipes de resgate. Segundo a coordenadora do Ibama, o órgão não acompanhou os abates feitos em Brumadinho e designou os agentes depois dos sacrifícios.

Tragédia em Brumadinho