Topo

Tripulantes de avião desaparecido ganham página de tributo na web

Reprodução/www.sharelor.net/
Montagem com fotos de tripulantes do voo MH370, publicada em site Imagem: Reprodução/www.sharelor.net/

Do UOL,em São Paulo

2014-03-17T14:32:41

2014-04-14T20:38:07

17/03/2014 14h32Atualizada em 14/04/2014 20h38

Um site na internet foi criado para prestar tributo a todos os tribulantes do voo MH370, da Malaysia Airlines, desaparecido em 8 de março. Não está claro se a página foi criada por funcionários da companhia aérea.

Os 12 tripulantes, em especial o piloto --  Zaharie Ahmad Shah -- e o copiloto --  Fariq bin Ab Hamid --, entraram no alvo de investigadores depois que se constatou que o desvio de rota do avião, de leste para o oeste, e o desligamento dos equipamentos de comunicação foram feitos de forma deliberada. Entre as hipóteses estudadas pela polícia estão sequestro, sabotagem e até suicídio.

"Queremos mostrar que eles são pessoas comuns, como eu e você, que foram colocadas em uma situação extraordinária", diz texto no site, que pede para que os visitantes evitem deixar comentários polêmicos no local.

Além de depoimentos de colegas, a página traz fotos dos acervos pessoais dos tripulantes.

O chefe dos comissários, Andrew Nari, é descrito como um "amante dos cachorros" e um fã de bandas como Pink Floyd e Dire Straits.

O comissário Junaidi Kassim "é um fã de fotografia, de carros e de gatos, como muitos de nós", afirma o texto. "Fotógrafos vão concordar que algumas de suas fotos são muito boas."

Uma página especial é dedicada ao piloto Shah. "Alguns mencionaram que o acidente pode ter sido causado por erro do piloto, mas aqui damos evidência de que isso é extremamente improvável", afirma o texto.

10 misteriosos desastres aéreos

  • AP

"A paixão do capitão Zaharie é voar. Quando não está pilotando um Boeing 777, ele pilota aeronaves de controle remoto", conta o tributo, mostrando fotos de modelos que o piloto tinha em casa -- uma versão do helicóptero Bell 22 e do anfíbio Cataline PBI.

Também é exibido o simulador de voo que o próprio piloto construiu em casa usando monitores de computadores e outros equipamentos.

Investigação 

Desde o desaparecimento do avião, a polícia da Malásia começou a investigar os tripulantes e funcionários em terra da companhia aérea.

No dia 9 de março, foi feita uma primeira visita às casas do piloto e do copiloto, e seus familiares foram ouvidos.

A partir da informação de que o desvio de rota e o desligamento dos equipamentos de comunicação do avião foram feitos de forma deliberada, policiais retornaram às casas do piloto e do copiloto no último sábado (15). 

O simulador de voo mantido pelo piloto em sua casa foi desmontado com a ajuda dos familiares e remontado na sede da polícia para averiguações.

Mais Internacional