Lula não será preso nesta sexta, diz PF; apresentação deve ocorrer após missa por Marisa Letícia

Bernardo Barbosa, Flávio Costa, Nathan Lopes e Mirthyani Bezerra

Do UOL, em São Bernardo (SP) e em São Paulo*

A PF (Polícia Federal) informou na noite desta sexta-feira (6) que não executará hoje a ordem de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ao mesmo tempo, fontes próximas ao petista dizem que ele se apresentará amanhã (7) à PF, logo após missa em memória de sua mulher, a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu em fevereiro do ano passado e faria 68 anos neste sábado.

A informação foi confirmada ao UOL pelo deputado federal Arlindo Chinaglia e por outras três fontes que pediram anonimato. O parlamentar não soube informar em quais condições e onde exatamente Lula se apresentaria.

O advogado Sepúlveda Pertence, que integra a defesa do ex-presidente, disse apenas que "esta é uma decisão exclusiva do presidente" quando questionado sobre se o petista se apresentará à polícia após a missa. A assessoria de imprensa do advogado Cristiano Zanin Martins, que também defende Lula, não confirma esta versão.

Leia também:

No mandado de prisão expedido contra o ex-presidente na quinta (5), o juiz federal Sergio Moro ofereceu a possibilidade de Lula se entregar até as 17h desta sexta, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. O petista, porém, decidiu ficar no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, no ABC paulista, onde está desde a noite de ontem.

A missa em memória de dona Marisa está marcada para as 9h30 deste sábado, no próprio sindicato. Está previsto um discurso do ex-presidente durante a cerimônia.

O deputado Carlos Zarattini afirmou que a negociação espera também evitar que o juiz Sergio Moro decrete a prisão preventiva de Lula. "A ideia é evitar que o juiz decrete a prisão preventiva, o que agravaria a situação. Mais ainda não tem nada concluído", declarou o deputado.

Lula foi condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Negociação envolve até tipo de avião

Encerrado às 17h desta sexta (6) o prazo oferecido por Moro, a defesa do petista segue negociando com a PF como será executada a ordem de cumprimento de pena. A Polícia avalia neste momento qual a forma mais segura, para todos os envolvidos, para o deslocamento de Lula até Curitiba. A corporação estaria pronta para conduzir o ex-presidente por avião ou helicóptero.

O uso de helicóptero seria uma forma de reduzir o deslocamento de Lula a partir do sindicato e de evitar possíveis confusões em aeroportos.

A PF, porém, sugeriu que o ex-presidente se apresente no aeroporto de Congonhas, onde haveria dois aviões disponíveis para levá-lo a Curitiba: um jato Embraer 145, prefixo PRDPF, e um King Air, prefixo PRBSI. O UOL apurou que o ex-presidente se recusou a ser levado no primeiro jato, que tem logomarca da PF.

O King Air levou José Dirceu para Curitiba quando ele foi preso em uma das fases da Operação Lava Jato.

* Com informações de AFP

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos