PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Polícia do Rio identifica suspeito de matar publicitária e abandonar corpo em terreno baldio

Contra o suspeito há quatro mandados de prisão pendentes - Divulgação/Polícia Civil
Contra o suspeito há quatro mandados de prisão pendentes Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Do UOL, no Rio

09/07/2013 15h16

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou nesta terça-feira (9) ter identificado um dos supostos autores do homicídio da publicitária Patrícia Gomes Ávilla, cujo corpo foi localizado no dia 21 de junho, em um terreno baldio da cidade de Queimados, na Baixada Fluminense.

Segundo os investigadores, Antônio Marcos Borges da Silva, cuja idade não foi divulgada, é apontado como o homem que abordou a vítima quando ela estacionava o seu carro em frente a uma clínica estética, na Penha, na zona norte do Rio.

POLÍCIA PEDE AJUDA

  • Divulgação

    O Disque-Denúncia divulgou cartaz pedindo à população informações sobre os criminosos que assassinaram a publicitária Patrícia Gomes Ávilla, 25. A vítima foi morta com um tiro na nuca.

O suspeito tem duas passagens por ameaça, seis por roubos de veículo, seis por extorsão, uma por porte ilegal de arma de fogo, uma por roubo a transeunte e uma por atentado violento ao pudor. Contra ele há quatro mandados de prisão pendentes.

Silva, que teria tingido os cabelos após o crime, de acordo com a polícia, estava na companhia de outros criminosos. O delegado da 55ª DP (Queimados), Daniel Mayr, afirmou que Silva teria assumido a direção do automóvel e conduzido a vítima até a Baixada Fluminense.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações continuam para identificar os outros envolvidos no homicídio e a motivação do mesmo. O carro de Patrícia foi abandonado no município de Angra dos Reis, na região sul do Estado.

A Polícia Civil solicita que quaisquer informações sobre a localização dos criminosos sejam comunicadas ao Disque-Denúncia por meio do telefone 0/xx/21/2253-1177. O anonimato é garantido.Os investigadores tentam descobrir se o crime está relacionado ao fato de que Patrícia era namorada do proprietário de uma revendedora de carros da zona oeste do Rio.

Cotidiano