Violência no Rio

Operação do Bope na Maré deixa 5 mortos e 8 feridos

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

  • Brenno Carvalho/Agência O Globo

    06.nov.2018 - Corpo é levado em carrinho de mão para a av. Brasil, que margeia a Maré

    06.nov.2018 - Corpo é levado em carrinho de mão para a av. Brasil, que margeia a Maré

Cinco pessoas morreram e oito ficaram feridas durante operação do Bope (Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar) no Complexo de Favelas da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro, segundo informou na tarde desta terça-feira (6) o porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz.

A ação começou por volta de 1h nesta terça-feira (6) e, até as 15h, não havia sido encerrada. Não foram divulgadas informações sobre as circunstâncias e origem dos disparos que provocaram as cinco mortes.

Leia também:

Segundo Blaz, a ação na Maré foi emergencial e ocorreu devido a informações de uma concentração de traficantes de várias comunidades na região. "Bandidos da Maré e inclusive de outras comunidades estavam em reunião na comunidade e isso motivou a ação." O major não explicou o objetivo da mobilização dos traficantes.

De acordo com informações da ONG Redes da Maré, o professor William de Oliveira, 35, e a tatuadora conhecida como Zezé, ambos moradores da comunidade, morreram na Nova Holanda. Zezé foi atingida de madrugada e o professor pela manhã. As vítimas foram retiradas da favela por moradores com auxílio de um carrinho de mão. Os corpos foram levados para beira da avenida Brasil --uma das mais movimentadas do Rio.

Na tarde de hoje, familiares de Oliveira prestavam depoimento na DH (Delegacia de Homicídios), na Barra da Tijuca, zona oeste carioca.

A terceira vítima foi identificada como Thiago Ramos Pereira. Ele chegou morto ao Hospital Federal de Bonsucesso com um tiro na cabeça. Outras duas vítimas não foram identificadas.

Além do Bope, participam da ação o BPChq (Batalhão de Polícia de Choque) e o BAC (Batalhão de Ações com Cães). Os grupos atuam nas comunidades do Parque União e Nova Holanda. De acordo com a polícia, o 22º BPM (Maré) montou um cerco no local. O objetivo da ação, segundo a PM, "é restabelecer a rotina dos moradores e prender os criminosos envolvidos na disputa do tráfico de drogas local".

O estado registrou aumento de 72% no número de homicídios decorrentes de intervenção policial entre os meses de julho e setembro na comparação com o mesmo intervalo do ano passado, de acordo com relatório divulgado pelo ISP (Instituto de Segurança Pública), órgão vinculado à Secretaria de Segurança. No período, sob vigência do decreto de intervenção federal na segurança pública do Rio, foram contabilizadas 412 mortes pela polícia contra 239 no mesmo trimestre de 2017 --os dados, revelados em outubro, são os mais recentes divulgados.

De acordo com a Redes da Maré, a operação levou pânico aos moradores e se estendeu pelas localidades Rubens Vaz e Parque Maré. Moradores relataram diversos confrontos na região e a presença de blindados do Bope. Escolas e postos de saúde das favelas da Nova Holanda e Parque União não abriram.

Nas redes sociais, moradores comentaram que o confronto foi tão intenso durante a madrugada que era possível ouvir os tiros em bairros vizinhos.
"A Guerra do Iraque se mudou pra Ramos [bairro da zona norte próximo à Maré]? Daqui da estação [de trem] dá pra ouvir", disse um morador.
"Consigo ouvir da estação [de trem] de Bonsucesso", comentou outro.

"Estou ouvindo barulho de várias sirenes na Avenida Brasil", disse uma moradora ainda durante a madrugada. "Ninguém merece tanto terror", lamentou outra pessoa.

Número de feridos sobe de 3 para 8

Segundo informou a PM, oito pessoas ficaram feridas. Entre elas, o funkeiro  Rodson Gomes, conhecido como MC Rodson, morador do conjunto de favelas. Ele foi baleado no pulmão e passou por cirurgia no hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador (zona norte). Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, seu estado é considerado estável. Os demais feridos foram levados para o Hospital Federal de Bonsucesso.

Duas pessoas foram presas. Durante a madrugada, moradores da Maré realizaram uma manifestação contra a operação policial. A avenida Brasil, pista sentido zona oeste, chegou a ser bloqueada pelos moradores.

De acordo ainda com a PM, policiais apreenderam na região 300 kg de drogas em tabletes, uma pistola Taurus 9mm, uma sacola de pó branco amarelado, uma motocicleta roubada, um fuzil (Airsoft) AK-47, dois canos de fuzil FAL 7,62 mm, uma luneta, um colete balístico e uma granada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos