Topo

Jovem grávida e PM morrem baleados no Rio nesta segunda-feira

Reprodução/Facebook/12.mar.2018 - Dandara Helena
Dandara estava na 25ª semana de gestação; bebê sobreviveu e está na UTI Imagem: Reprodução/Facebook/12.mar.2018 - Dandara Helena

Marcela Lemos e Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio

2018-03-12T11:18:21

2018-03-12T17:52:59

12/03/2018 11h18Atualizada em 12/03/2018 17h52

Após um fim de semana marcado por assassinatos, a região metropolitana do Rio voltou a registrar mortes violentas nesta segunda-feira (12). Um PM e uma jovem grávida morreram baleados na manhã de hoje.

Dandara Helena Damasceno de Souza, 21, estava grávida e foi baleada na cabeça em Padre Miguel, na zona oeste do Rio. Ela foi levada para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, na região, mas chegou morta à unidade.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, uma cesariana de emergência foi feita na jovem e o bebê sobreviveu. Porém, o bebê está na UTI (unidade de terapia intensiva) neonatal em estado grave. O menino, que pesa 900 gramas, respira com a ajuda de aparelhos. A gestação de Dandara estava na 25ª semana.

"As próximas 48, 72 horas serão fundamentais para qualquer tipo de prognóstico", disse o coordenador da maternidade do Albert Schweitzer, Juciney Pacheco, em entrevista à TV Globo.

De acordo com informações do Batalhão de Bangu (14º BPM), a vítima foi atingida dentro da sua casa na comunidade da Vila Vintém. Segundo o batalhão, não havia operação policial na região nesta manhã.

De acordo com o delegado Neílson Nogueira, nenhuma hipótese --inclusive a de feminicídio-- está descartada nas linhas de investigação da Delegacia de Homicídios. "Estamos com equipe na rua diligenciando para tentar esclarecer em detalhes o que aconteceu com a Dandara", disse Nogueira.

Nogueira informou que a mãe de Dandara está sendo localizada para prestar depoimento. O delegado afirmou ainda que não está decidido se será feita uma perícia ou uma reprodução simulada do crime. Isso porque a Polícia Civil tenta rastrear o local exato em que o crime ocorreu.

Mais cedo, o cabo da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) Leonardo de Paula da Silva, 35, foi morto na linha Amarela --via expressa que liga as zonas norte e oeste do Rio. O caso ocorreu próximo ao acesso à Vila dos Pinheiros, em Bonsucesso, na zona norte da cidade.

"Houve uma batida de carro e os bandidos foram ver o que estava acontecendo. O PM saiu do carro armado, os bandidos atiraram, tomaram a arma dele e a usaram para atirar novamente no PM", afirmou Fábio Cardoso Junior, delegado titular da Delegacia de Homicídios.

"A arma do PM, uma pistola, foi encontrada abandonada próxima a uma passarela do local. Provavelmente porque os bandidos pensaram que fosse haver uma operação no local", disse o delegado. O PM, que era lotado na UPP da Vila do João, no Complexo da Maré, e estava na corporação há oito anos, é o 23º policial militar assassinado este ano no Estado.

As mortes de hoje ocorrem após um fim de semana violento na região metropolitana do Rio. Entre sexta-feira (9) e domingo (11), ao menos sete pessoas morreram de forma violenta na região. A segurança pública do Estado está sob intervenção federal desde o mês passado.

Rio tem 6 mulheres mortas em fim de semana violento

Band News

Mulher morta em tentativa de assalto

Na noite de domingo, uma jovem de 24 anos morreu após ser baleada no tórax durante tentativa de assalto, em Irajá, também na zona norte. Tarsila Pereira dos Santos estava com o marido, o filho de três anos e o sogro em um carro quando os bandidos anunciaram o assalto.

Um dos bandidos atirou no veículo após o motorista se assustar com a ação. Tarsila foi levada para o hospital Getúlio Vargas, onde foi operada, mas não resistiu aos ferimentos.

Mãe e filho mortos

Ainda no domingo, mãe e filho foram mortos à noite no bairro de Santa Efigênia, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense. Segundo a polícia, Thiago Machado dirigia um carro na companhia da mãe, Alba Valéria, quando foram baleados. Ainda não há mais detalhes sobre o caso. A Delegacia de Homicídios investiga as mortes.

Homem morre em tiroteio na Vila Kennedy

Também no domingo, um homem morreu após confronto entre policiais e criminosos na comunidade de Vila Kennedy, na zona oeste do Rio.

Segundo a Polícia Militar, agentes do Batalhão de Ações com Cães faziam patrulhamento numa área de vegetação, na divisa da comunidade com o bairro de Senador Camará, quando encontraram homens armados na mata. Os criminosos teriam atirado contra os agentes, dando início a um tiroteio.

Passado o confronto, os policiais encontraram um suspeito ferido. Wilton César do Nascimento Ramos estaria de "posse de materiais ilícitos". Os agentes entraram em contato com o comandante e pediram apoio do blindado do 14º Batalhão da Polícia Militar para prestar socorro ao homem ferido, mas ele não resistiu aos ferimentos.

A ocorrência foi encaminhada para registro na 34ª Delegacia de Polícia, de Bangu. Foram apreendidos uma espingarda calibre 12, munições, rádio transmissor e drogas.

Protesto após morte

Na sexta-feira, a moradora da Praça Seca, na zona oeste, Natalina da Conceição, 45, morreu após ser baleada durante tiroteio na comunidade conhecida como Menezes.

No fim da tarde, moradores da região chegaram a fechar a rua Cândido Benício --a principal via da região-- em protesto em razão da morte da moradora.

Mulher de PM é morta durante assalto

Ainda na sexta-feira, também morreu Janaína Helena da Silva Oliveira, 27, baleada na cabeça dentro de um carro, na avenida Marechal Alencastro, em Deodoro, também na zona oeste do Rio. Ela estava acompanhada do marido, Bruno Pereira Oliveira, que é PM e reagiu a um assalto.

Janaína chegou a ser socorrida no Hospital Municipal Albert  Scheitzer. Com quadro considerado grave, ela foi transferida para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas também não resistiu.

Segundo a polícia, sete homens armados tentaram assaltar o casal, e o PM reagiu. A polícia não soube informar se algum assaltante foi atingido durante a troca de tiros.

Adolescente é morta na Vila Aliança

A adolescente Thayna dos Santos Marinho, 15, morreu com um tiro na cabeça na tarde de sábado (10), na Vila Aliança, em Bangu. A jovem chegou a ser socorrida e levada para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, mas, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, já chegou morta à unidade.

O disparo teria partido da arma do namorado da jovem, que foi atingida dentro de casa. Thayna foi levada em uma Kombi para o hospital, mas o motorista deixou a jovem e fugiu do local.

Ainda não há informações se o disparo foi acidental ou não. A Delegacia de Homicídios foi acionada e realizou uma perícia no local.

Mais Cotidiano