PUBLICIDADE
Topo

Tragédia em Brumadinho

Ministério quer relatório da Vale sobre todas as barragens em risco

Alex Tajra

Do UOL, em São Paulo

07/02/2019 21h41

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, solicitou nesta quinta-feira (7) à mineradora Vale - responsável pela barragem que caiu e matou pelo menos 157 pessoas - que envie um relatório à sua pasta detalhando todas as barragens que estão em situação de risco.

 A ideia é formar uma equipe de trabalho para prevenir desastres que atentem contra os direito humanos. "Não vamos silenciar. Vamos acompanhar de perto cada procedimento. Esse episódio será prioridade em nossa pasta. Queremos respostas", disse a ministra em nota.

Além de Damares, estiveram presentes na reunião o prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo (PV), a secretária de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania do Estado, Elizabeth Jucá, o secretário nacional de Proteção Global, Sérgio Queiroz, e dois representantes da Vale, o diretor de Comunidades Sudeste, Sérgio Leite, e a diretora de Relações Governamentais, Salma Ferrari.

Outros representantes da pasta também estão em Brumadinho. A comitiva conta com membros da Fundação Nacional do Índio (Funai), Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR) e Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA).

O ministério ainda vai reunir uma rede de voluntários, em parceria com a prefeitura de Brumadinho e com o governo do Estado, para ajudar na localização e no acolhimento das vítimas da barragem. 

"A análise prévia desse tipo de risco precisa ser feita com mais cuidado, especialmente neste tipo de barragem considerada a montante, que corre os riscos desses vazamentos", afirmou o secretário Sérgio Queiroz na reunião, segundo nota. 

Números do desastre

O número de corpos resgatados da lama que despencou da barragem da Vale em Brumadinho subiu para 157, segundo comunicado conjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, bombeiros e da Vale divulgado nesta quinta-feira (7). As equipes de busca procuram por 182 desaparecidos.

Dos 134 corpos identificados pelo Instituto Médico Legal, 75 são de funcionários da Vale. Dentre os desaparecidos, 55 são empregados companhia e o restante são terceirizados ou moradores da cidade que não tinham nenhum vínculo com a empresa.

No 14º dia de buscas, pelo menos 374 pessoas trabalhavam em Brumadinho, incluindo agentes da Força Nacional, voluntários e bombeiros de Minas Gerais e de outros estados. O efetivo se concentrou na região da usina, na área administrativa e na área do remanso, segundo o Corpo de Bombeiros.

Tragédia em Brumadinho