PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Com feições de cidade-dormitório, capital governada por Capriles apoia sua candidatura

Thiago Varella

Do UOL, em Caracas (Venezuela)

13/04/2013 06h00

Desde 2008, o candidato oposicionista à presidência da Venezuela, Henrique Capriles, trabalha na Casa Amarela, sede do governo do Estado de Miranda, na cidade de Los Teques.

Governador do Estado até se licenciar para disputar a presidência, o oposicionista tem muitos simpatizantes entre os moradores locais.

UOL NA VENEZUELA

  • Apesar de apoiar Maduro, Lula vira modelo político de Capriles

  • Com fim oficial da campanha, TVs fazem propaganda disfarçada

  • Bigode de Maduro faz camelôs "bolivarianos" faturarem alto

A cidade de pouco mais de 251 mil habitantes serve como dormitório para quem trabalha em Caracas. Desde 2006, o metrô da capital venezuelana leva até a uma estação em Los Teques. A viagem completa dura pouco mais de 45 minutos.

Quem está acostumado com uma capital estadual brasileira de maior porte, como Belo Horizonte e Salvador, estranha Los Teques.

A impressão é a mesma de se estar em uma cidade suburbana de alguma grande região metropolitana do Brasil, e não a capital de um Estado que é considerado um dos mais ricos do país.

O centro da cidade está abarrotado de camelôs. Nas calçadas, quase não há lugar para os pedestres.

Capriles até começou a fazer um prédio para tirar o comércio popular das ruas, mas a obra aparenta estar longe de ser concluída.

Outra característica da cidade são os inúmeros conjuntos habitacionais. Capriles mandou pintar a maioria deles que estão em bom estado.

Diferentemente dos prédios populares de Caracas, os de Los Teques contam com mais propagandas pró-Capriles nas janelas do que pró-Maduro.

O candidato chavista, no entanto, parece ser o favorito da favela que está na entrada da cidade, próxima à estação de metrô.

Raio-X da Venezuela

  • Arte/UOL

    Nome oficial: República Bolivariana da Venezuela

    Capital: Caracas

    Localização: América do Sul

    Superfície: 916.445 Km2

    População: 28.459.085

    Moeda: Bolívar

    Idioma oficial: Espanhol

    PIB: US$ 13.200

    Religião: Católica (96%), Protestante (2%), outra (2%)

    Governo: Presidencialista

    Principais atividades econômicas: Indústria petrolífera, agricultura, pesca, pecuária e mineração

Nas ruas de Los Teques há várias pessoas usando camisetas com propaganda de Capriles que, no ano passado, encerrou sua campanha presidencial na cidade.

O taxista Julio Gutierrez, 63, nasceu em Maracaibo, mas vive em Los Teques há 14 anos. Ele vai votar em Capriles por ser contra o chavismo.

“O chavismo é sinônimo de corrupção. Chávez só governava para ele. Aqui na cidade, os postos de saúde decentes, as boas escolas, as obras úteis, todas foram feitas pelo governo estadual”, afirmou.

Técnico eletricista de formação, Gutierrez afirma ter abandonado a profissão por causa do poder dos sindicatos, todos ligados ao chavismo.

“Eu tinha que pagar tanto dinheiro para trabalhar que tive de mudar de emprego”, desabafou.

A dona de casa Argelia Casanova, 42, também vai votar em Capriles. Ela diz que o candidato perde uma grande chance de fazer propaganda do que fez na cidade.

“Não entendo porque ele não usa seus feitos em Los Teques na campanha. O posto de saúde do governo estadual é excelente e ainda dá remédios de graça”, contou.

Não há pesquisa para saber se, de fato, Capriles é o favorito na cidade. No Estado de Miranda, o oposicionista teve, ano passado, apenas 6.873 votos a menos que Chávez, em um universo de 1,57 milhão de eleitores.

Algumas partes da Grande Caracas pertencem ao Estado de Miranda. Chacao e Altamira, considerados bairros da capital, são na verdade municípios do Estado governado pelo político oposicionista.

Conhecidos por abrigarem os melhores hotéis e o coração financeiro do país, esses municípios fazem mais jus à fama de riqueza do Estado, e também contam com uma grande base de eleitores de Capriles.

Internacional