PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Presos confirmam ter se livrado de mochila de suspeitos de atentado de Boston

Do UOL, em São Paulo

01/05/2013 17h10

Os três suspeitos presos na manhã desta quarta-feira (1º) por terem colaborado com os autores do atentado à Maratona de Boston, nos Estados Unidos, confessaram que teriam se livrado da mochila de Dzhokhar Tsarnaev, acusado de ser coautor das explosões de 15 de abril. 

Saiba mais sobre os russos suspeitos dos ataques em Boston

  • Os dois suspeitos apontados pelo FBI como responsáveis pelas explosões da Maratona de Boston foram identificados como sendo os irmãos Dzhokhar A. Tsarnaev (à dir.),19, preso pela polícia, e Tamerlan Tsarnaev, 26, morto após tiroteio. Os dois são russos, provenientes de uma região próxima à Tchetchênia, e residentes legais nos Estados Unidos há no mínimo um ano.

De acordo com o depoimento do agente especial Scott Cieplik anexado à denúncia, Dias Kadyrbayev, 19, e Azamat Tazhayakov, 19, afirmaram aos investigadores que eles teriam pegado a mochila e o computador de Tsarnaev em seu dormitório na noite de 18 de abril, pouco depois de o FBI divulgar fotos dos suspeitos de envolvimento no bombardeio. 

Tazhayakov revelou que Dhzojar esteve na casa que divide com Kadyrbayev em New Bedford, na região de Dartmouth, em 17 de abril, dois dias após as explosões. E na noite seguinte, teriam ido ao quarto de Dhzojar no campus da universidade, mas o autor do ataque já havia partido.

Os jovens relataram ter encontrado a mochila com fogos de artifício e desconfiaram do envolvimento de Dhzojar no duplo atentado. "Portanto, Kadyrbayev decidiu pegar a mochila para ajudar seu amigo", diz a denúncia da Promotoria federal. E também pegaram o computador de Dhzojar para evitar suspeitas de seu companheiro de quarto.

Os objetos, segundo os estudantes, foram jogados em uma lixeira no complexo de New Bedford, próximo ao apartamento onde moravam.

Já o americano Robel Phillipos, 19, inicialmente disse nunca ter ido ao dormitório de Tsarnaev. Mas, no quarto interrogatório, acabou admitindo que também teria ajudado os colegas.

Ele, no entanto, disse ter discutido com os outros dois sobre o que fazer com a prova, mas que acabou caindo no sono e, ao acordar, descobriu que a mochila tinha desaparecido.

A mochila, possivelmente levada por um caminhão de lixo, foi recuperada pelo FBI na semana passada dentro de um saco de lixo preto do aterro de Bedford. Foram encontrados dentro dela, entre outros objetos, fogos de artifício e um pote de vaselina. Não se sabe ao certo o que aconteceu com o laptop, que, segundo Kadyrbayev, também foi descartado pelo trio. 

Os três foram acusados oficialmente de conspiração por obstruir a Justiça, segundo comunicado da Procuradoria dos EUA. O americano responderá ainda por fazer declarações falsas a policiais em uma investigação de terrorismo. 

Nenhum deles é acusado por ter participado do planejamento do atentado nem de conhecê-lo de antemão.

Segundo a promotoria, Tazhayakov e Kadyrbayev podem pegar penas máximas de cinco anos de prisão e pagamento de multa de US$ 250 mil (aproximadamente R$ 500 mil). Phillipos pode ser sentenciado a oito anos de prisão e a pagamento de multa no mesmo valor dos outros dois estudantes.

Os três, que rejeitaram o direito de fiança, estão detidos na cadeia do condado de Suffolk. 

Em entrevista à imprensa, após a audiência dos suspeito com a Promotoria dos Estados Unidos, o advogado de defesa de Phillipos, Derege Demissie, disse que seu cliente não tinha nada a ver com as ações de Tazhayakov e Kadyrbayev. O amaricano simplesmente foi acusado de fazer uma "deturpação" às autoridades.

Já o advogado de Tazhayakov afirmou que seu cliente está chocado "ao saber que um aluno da universidade tenha envolvimento no atendado, quer colaborar e está esperando ansiosamente que a verdade apareça". 

 

Identidade dos suspeitos

Os dois cazaques tinham sido detidos anteriormente por autoridades da imigração norte-americana por suposta violação dos termos de seus vistos.

Personagens da tragédia

  • "Nada me preparou para esse dia", diz médica que atendeu feridos da Maratona de Boston

  • Americano testemunha atentado de Boston e explosão em fábrica de fertilizante no Texas

  • Dançarina que perdeu pé quer voltar a dançar

Kadyrbayev estudava engenharia, foi dispensado da universidade, mas permaneceu nos Estados Unidos. Uma audiência sobre o caso dele está marcada para 22 de maio.

Já Tazhayakov, habilitado em economia, tinha o visto expirado desde o dia 4 de janeiro, mas foi autorizado a reingressar nos Estados Unidos em 20 de janeiro, segundo divulgado pelo juiz durante a audiência da qual os dois estudantes participaram na manhã desta quarta-feira. Tazhayakov será ouvido novamente no próximo dia 9.

Os dois, assim como o americano de Cambridg, eram ou tinham sido estudantes da Universidade de Massachusetts, em Dartmouth (100 km ao sul de Boston), onde Dzhokhar Tsarnaev, acusado de ser coautor dos atentados, também estudava.

Atentados

No dia 15 de abril, duas bombas foram detonadas perto da linha de chegada da Maratona de Boston, provocando três mortes e deixando mais de 260 feridos.

Três dias depois, os irmãos Tamerlan Tsarnaev, 26, e Dzhokhar Tsarnaev, 19, de origem tchetchena, foram identificados como suspeitos do atentado a partir de imagens gravadas por câmeras de segurança. No dia 18, o mais velho foi morto pela polícia e, no dia seguinte, o mais novo foi preso

Dzhokhar está detido e se recupera em um hospital penitenciário federal. Ele foi acusado formalmente de crimes que poderão ser punidos com pena de morte. O corpo de Tamerlan ainda não foi reivindicado. “Ainda não fomos procurados pela família”, disse Terrel Harris, porta-voz do examinador médico chefe do Estado. 

Duas bombas explodem durante Maratona de Boston, nos EUA

Internacional