PUBLICIDADE
Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


UOL Confere

Vacina, cura da covid e fraude na urna: Bolsonaro mente ao sair do hospital

Igor Mello e Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, no Rio de Janeiro e em São Paulo

18/07/2021 11h36Atualizada em 18/07/2021 17h53

Depois de quatro dias internado para tratar uma obstrução intestinal, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou na manhã de hoje o Hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo, após receber alta médica. Na saída, Bolsonaro conversou com a imprensa, criticou Cuba e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e mentiu sobre assuntos que vão da CPI da Covid à fraude eleitoral.

O UOL Confere verificou a veracidade de algumas frases:

"Não tem canetada minha fora da Constituição" - Falso

Nós queremos o bem do Brasil, transparência. Não tem uma ação minha, uma canetada Bic minha, ou Compactor, fora das quatro linhas da Constituição. E nós queremos respeitá-la integralmente. Respeitar do primeiro ao último artigo da Constituição, acabar com abusos de certas autoridades."
Jair Bolsonaro

Ao contrário do que diz Bolsonaro, diversas medidas adotadas por ele durante o governo foram consideradas inconstitucionais pelo STF, instância responsável por revisar medidas tomadas pelos outros Poderes. Em outros casos, Bolsonaro revogou decisões temendo derrotas na Corte.

O STF decidiu que Bolsonaro violou a Constituição ao extinguir por decreto conselhos criados por lei. A ministra Rosa Weber também derrubou trechos de decretos de Bolsonaro que flexibilizaram o acesso a armas por atentarem "contra os valores da segurança pública e da defesa da paz", que são valores constitucionais.

O STF ainda revogou a nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal. O ministro Alexandre de Moraes, que deu uma decisão liminar referendada pelo plenário da Corte, entendeu que a nomeação ocorreu "em inobservância aos princípios constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público".

Em relação à transparência, Bolsonaro também desinforma. O presidente foi criticado por alterar, logo no início de seu mandato, a Lei de Acesso à Informação, aumentando o número de servidores que poderiam decretar sigilo sobre documentos. O governo revogou a medida porque a Câmara dos Deputados se preparava para aprovar um decreto legislativo que derrubaria a mudança.

Bolsonaro também extinguiu dezenas de conselhos que promoviam o controle social e a transparência sobre políticas públicas. Em outros casos, como no Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), aumentando a participação do próprio governo e reduzindo o número de membros da sociedade civil e do setor produtivo.

Covaxin: "Não paguei, não comprei" - Verdadeiro

A CPI daqui fica o tempo todo me acusando de corrupto. Eu não comprei, eu não paguei. E quem paga é alguém lá do ministério, é todo dia uma narrativa."
Jair Bolsonaro

Ele afirmou que o governo não gastou "um centavo" com a Covaxin, o que é verdade. O que ele não contou é o Ministério da Saúde já havia reservado R$ 1,6 bilhão para a compra da vacina, negócio que só foi cancelado depois que o escândalo ganhou o noticiário.

Adélio é "ex-psolista" - Verdadeiro

Comecei a passar mal depois de uma cirurgia de implante, e obviamente a origem disso é complicado descobrir o que é. Alguns dias depois agravou a crise de soluço, parecia que tava pegando fogo no estômago. Bem. Causa disso: era obstrução intestinal, porque a aderência é comum para quem já sofreu cirurgias como eu sofri vivendo aquela facada do ex-psolista Adélio lá em Juiz de Fora."
Jair Bolsonaro

Como disse Bolsonaro, Adélio Bispo não era mais filiado ao PSOL quando o esfaqueou durante um ato de campanha em Juiz de Fora, no interior de Minas Gerais, em 6 de setembro de 2018.

As investigações da PF constataram que ele agiu sozinho, sem nenhuma interferência de partidos políticos. Quando atacou Bolsonaro, Adélio já tinha se desligado da legenda há quatro anos. Segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ele foi filiado ao PSOL em Uberaba entre 2007 e 2014 e pediu desfiliação por conta própria.

Voto não é auditável - Falso

Eu não entendo, por exemplo, porque não querem voto auditável. Será que esse voto eletrônico que é usado no mundo todo é tão confiável assim? Por que essa briga? Nós queremos transparência nas eleições. Não existe [sic] eleições sem transparência, isso é fraude ".
Jair Bolsonaro

Ao contrário do que afirma Bolsonaro, a votação por meio das urnas eletrônicas já é auditável, permite recontagem de votos e garante segurança, segundo especialistas. Nunca houve nenhuma denúncia comprovada de fraudes nas eleições no Brasil desde a implantação do sistema eletrônico.

Fraude na eleição - Falso

Eu posso adiantar uma das coisas importantes, existe uma estatística... Eu errei, 271, né? Melhor, 231 vezes a apuração do segundo turno de 2014, dá Aécio, Dilma, Aécio, Dilma, Aécio, Dilma? E toda vez que a Dilma ganha é por uma margem maior do que quando o Aécio ganha. É possível jogar uma moedinha pra cima, 231 vezes e ela alterar cara e coroa? É impossível. Então nós temos que resolver uma só possibilidade de fraude, tem que combater isso aí. Deveria ser, isso aí, a Bíblia do TSE, e não o contrário."
Jair Bolsonaro

Em diversos momentos ao longo dos últimos anos, Bolsonaro disse que houve fraudes na contagem dos votos nas eleições presidenciais de 2018 — quando ele venceu Fernando Haddad (PT) no segundo turno — e de 2014, quando Dilma Rousseff (PT) se reelegeu após disputa acirrada com Aécio Neves (PSDB). Não há provas disso.

Após a vitória de Dilma, uma auditoria solicitada pelo PSDB constatou que não houve fraude na eleição de 2014. Sobre 2018, Bolsonaro repetidas vezes disse ter provas de que houve irregularidades no pleito, mas nunca apresentou as evidências.

O governo federal também já admitiu, por meio de pedidos de Lei de Acesso à Informação, que a Presidência da República não possui documentos que provariam a suposta fraude.

Vacina aprovada é experimental? - Falso

Quando se aponta determinado nome de vacina, o povo não quer tomar. Faça um trabalho no tocante a isso. Agora, a vacina ainda em fase experimental ou não é? É. É uma autorização emergencial por parte da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária."
Jair Bolsonaro

Como em outras vezes em que falou a esse respeito, o presidente mentiu. As vacinas contra a covid-19 não estão em fase experimental porque, no Brasil, diferentes imunizantes receberam o aval da Anvisa depois de passar por análises de segurança, qualidade e eficácia. Mesmo aquelas com autorização para aplicação emergencial passaram por esse tipo de teste.

Falar em cura da covid nos faz criminosos - Falso

O que me surpreende é de ver o mundo, alguns países investindo em remédio para curar a covid, e aqui, quando você fala de cura para covid, parece que você é criminoso. Não pode falar em cloroquina, ivermectina."
Jair Bolsonaro

Não há qualquer substância que tenha eficácia comprovada para prevenção ou tratamento precoce da covid-19. Estudos sobre a cloroquina e a hidroxicloroquina já constataram que os medicamentos não reduzem a mortalidade, as internações ou mesmo a infecção pela covid-19. Além disso, apontam que a hidroxicloroquina "provavelmente aumenta o risco de efeitos adversos".

No caso da ivermectina, Bolsonaro tem distorcido uma pesquisa para defender o uso do medicamento. O estudo, no entanto, é criticado por usar em uma revisão de literatura artigos que não foram revisados por outros cientistas ou sequer foram publicados. A Anvisa diz que não há estudos conclusivos sobre a eficácia do remédio contra a covid-19.

Proxalutamida é eficaz - Falso

E tem uma coisa que já acompanho há algum tempo e que temos que estudar aqui no Brasil: chama-se proxalutamida, já tem uns 3 meses que isso não tá no mercado, é uma droga ainda sendo estudada, mas que alguns países já têm mostrado melhora. Isso existe no Brasil de forma não ainda comprovada cientificamente, de forma não legal, mas que tem curado gente."
Jair Bolsonaro

Ao contrário do que Bolsonaro afirma, ainda não há comprovação científica de que a proxalutamida é eficaz contra a covid-19. O medicamento é usado normalmente no tratamento de tumores que têm relação com a testosterona, como o câncer de próstata. Ele vem sendo testado para o novo coronavírus pelo grupo hospitalar brasileiro Samel em parceria com a Applied Biology, empresa americana de biotecnologia especializada no desenvolvimento de medicamentos para doenças capilares.

Apesar de os primeiros resultados divulgados pelos realizadores indicarem efeito positivo no tratamento da covid-19, cientistas ponderam que o estudo ainda não foi publicado e revisado pelos pares. Também apontam que não é possível saber de que forma o medicamento é administrado —sozinho ou em combinação com outras drogas, por exemplo.

O medicamento ainda não é comercializado e não foi aprovado por nenhuma agência sanitária, como a Anvisa ou a americana FDA.

Coronavírus contamina mais quem tem medo - Falso

O que mais mata de covid em primeiro lugar é quem tá com obesidade. Em segundo lugar, quem esta tomado pelo pavor ou pelo pânico."
Jair Bolsonaro

Sem fundamentação, Bolsonaro diz que o coronavírus contamina quem está tomado pelo medo. Desde o início da pandemia, o presidente defende a divulgação de notícias positivas sobre a crise sanitária e critica a imprensa, afirmando que o noticiário causa pânico na população — embora mais de meio milhão de pessoas já tenham morrido por covid-19 no Brasil.

Processados por defender Artigo 142 - Falso

Eu respeito integralmente a Constituição. Deixa eu falar uma coisa pra vocês: tem gente sendo processado porque levantou uma faixinha de artigo 142. É isso? É ou não é? É. É ou não é? É. Eu respeito o artigo 1º da Constituição, respeito o artigo 2º da Constituição, o 10º, o 100º, e respeito o 142 também. Isso é crime? Eu jurei respeitar a Constituição, e estou respeitando isso daí. Algumas outras autoridades do Brasil aí não respeitam, a Constituição é ele, vale o que ele interpreta. Quando o cara levanta uma faixinha lá, AI-5, o que é AI-5? Existe ato institucional no Brasil? Não existe ato institucional. Tem que pegar aquele cara que levantou a faixinha do AI-5 e falar: amigo, isso aí não existe. É pedido absurdo."
Jair Bolsonaro

O presidente se refere ao inquérito dos atos antidemocráticos, arquivado pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes. A investigação teve início para apurar o ato que aconteceu em Brasília em 19 de abril de 2020 em frente ao quartel-general do Exército no qual os manifestantes pediam intervenção militar e fechamento do Congresso e do Supremo. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou e discursou no evento.

O artigo 142 mencionado por ele é o artigo da Constituição que trata das Forças Armadas, "sob a autoridade suprema do Presidente da República".

Na mesma sentença em que arquivou o inquérito sobre os atos antidemocráticos, Moraes determinou a abertura de uma nova investigação, da qual ele também será o relator, que visa apurar o uso de dinheiro público para financiar uma organização criminosa de disseminação de notícias falsas, baseado em indícios obtidos pela Polícia Federal.

Lockdown não funciona - Falso

Olha o que alguns governadores fizeram. Toque de recolher, lockdown, sem comprovação científica. Tiraram o emprego de milhões de pessoas, fecharam igrejas."
Jair Bolsonaro

Ao contrário do que diz Bolsonaro, lockdown e formas mais brandas de isolamento social são duas das principais medidas de combate ao coronavírus defendidas por cientistas. Bolsonaro também culpa governadores pelo fechamento de igrejas, mas a decisão foi tomada pelo STF em abril.

Por 9 a 2, prefeitos e governadores foram autorizados a proibir a realização presencial de missas e cultos em um esforço para evitar a propagação da covid no país. Naquela ocasião, o Brasil vivia o pior momento do surto, com hospitais lotados e alta de mortes.

Depoente da CPI recebeu auxílio - Verdadeiro

O último depoimento, esqueci o nome do cara aqui, ele tava completamente nervoso. É um cara que inclusive, já que é tão lobista assim, negocia bilhões, ele recebeu auxílio emergencial. São pessoas que não têm credibilidade nenhuma."
Jair Bolsonaro

O representante no Brasil da empresa americana de produtos hospitalares Davati Medical Supply, Cristiano Carvalho, admitiu à CPI da Covid que fez o cadastro para receber o auxílio emergencial em seu nome no ano passado. Carvalho mudou versão dita anteriormente aos senadores de que uma amiga teria feito o pedido para ele.

"Eu vou retificar a informação e dizer que fui eu mesmo que fiz [o cadastro para receber o auxílio emergencial]. Estou sendo colocado em uma situação constrangedora. No momento eu precisava, não me orgulho disso", disse.

De acordo com reportagem do jornal O Globo, Carvalho recebeu R$ 4.200 do auxílio emergencial em 2020 —cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300.

A Davati, que se teria se apresentado como representante da AstraZeneca, está envolvida em suposto caso de propina para compra de vacinas.

Auxílio emergencial foi ideia do governo - Falso

Quase que a economia quebrou. Sem a equipe de Paulo Guedes, nossos ministros, trabalhar pelo auxilio emergencial..."
Jair Bolsonaro

Embora tenha dito que o auxílio emergencial se deve ao trabalho da "equipe de Paulo Guedes", ministro da Economia, a ajuda só foi aprovada após pressão popular. A Câmara propôs e votou em 2020 a criação do auxílio de R$ 600 para trabalhadores sem carteira assinada. A cifra era três vezes maior do que a proposta do governo de então pagar R$ 200.

Renovado este ano, a ajuda será paga até outubro, agora com valores de R$ 150 a R$ 375 para cerca de 39,1 milhões de brasileiros.

Lula e Cuba

Bolsonaro também alfinetou Lula, líder nas pesquisas, e a crise em Cuba, onde parte da população passou a se manifestar nas ruas.

"Já perguntaram para o Lula o que ele acha do movimento que tá acontecendo agora em Cuba?", questiona. O presidente também colocou em dúvida a popularidade de Lula ao sugerir que ele não é favorito para a eleição de 2022, como indicam as pesquisas de intenção de voto.

"Já que o outro cara [Lula], segundo o Datafolha, tem 49% agora e no segundo turno 60%? Por que não vai tomar um café no bar?", disse.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

UOL Confere