PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Após queda de avião, empresas passam a evitar espaço aéreo ucraniano

Do UOL, em São Paulo

17/07/2014 14h18Atualizada em 17/07/2014 17h29

Horas após um avião de passageiros da Malaysia Airlines cair com 295 pessoas a bordo nesta quinta-feira (17), empresas aéreas informaram que vão evitar o espaço aéreo ucraniano. O avião caiu na Ucrânia próximo a fronteira com a Rússia.

A francesa Air France, a alemã Lufthansa, a britânica British Airways, a holandesa KLM e a italiana Alitalia decidiram evitar o espaço aéreo do leste da Ucrânia. Já as russas Transaero e Aeroflot, a turca Turkish Airlines, a americana Delta Airlines e a árabe Emirates Airline anunciaram que evitarão todo o espaço aéreo do país.

"A Air France está monitorando a situação em tempo real e decidiu não voar mais sobre o leste ucraniano após ser informada do incidente", disse um porta-voz da empresa.

Uma porta-voz da Lufthansa afirmou que a empresa decidiu evitar a região com efeito imediato, mas que por enquanto continuará servindo os aeroportos de Kiev e Odessa.

A Emirates Airline informou que o seu voo EK171 com destino a Kiev voltou para Dubai nesta quinta devido preocupações com a segurança, e que todos os voos para Kiev foram suspensos com efeito imediato. A companhia aérea afirmou que a proibição de voos para Kiev permanecerá em vigor até novo aviso. "A segurança de nossos clientes e da tripulação é fundamental, e vamos continuar a monitorar a situação com cuidado", disse em um comunicado. A Emirates também afirmou que voos de e para os Estados Unidos e outros destinos europeus seguiram uma rota diferente e não passaram sobre a área onde o avião da Malásia caiu.

O Ministério do Interior ucraniano atribuiu a queda da aeronave, um Boeing 777, a "um míssil disparado do solo". Não está claro, porém, que relação a queda do avião tem com o atual conflito entre forças ucranianas e forças separatistas pró-Rússia na região.

O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseni Yatseniuk, ordenou uma imediata investigação do que chamou de "catástrofe".

Trajeto do voo MH17 - Arte/UOL - Arte/UOL
Voo ia de Amsterdã (Holanda) para Kuala Lumpur (Malásia)
Imagem: Arte/UOL

O voo MH17 ia de Amsterdã, na Holanda, para Kuala Lumpur, na Malásia, e voava a 10 mil metros quando teria sido atingido. O voo teria duração de 11 horas e 55 minutos e percorreria uma distância de 10,2 mil quilômetros.

Um repórter da Reuters no leste da Ucrânia afirmou que dezenas de corpos estavam espalhados ao redor dos destroços ainda em chamas de um avião de passageiros perto do vilarejo de Grabovo.

Um funcionário dos serviços de emergência disse que pelo menos 100 corpos tinham sido encontrados até o momento no local e que pedaços de corpos estavam espalhados por até 15 km. Partes quebradas das asas estavam marcadas com tinta azul e vermelha, as cores do emblema da Malaysian Airlines. (Com agências internacionais)

Internacional