Topo

Operação Lava Jato


Foi comentário, não demanda, diz senadora sobre conversa vazada com Moro

Reprodução/PSDB
Imagem: Reprodução/PSDB

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

13/06/2019 16h58

A senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) diz que fez um "comentário", e não uma "demanda", ao mandar mensagem ao ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, com a frase "Me ajuda, o que faço?". A conversa foi divulgada ontem pelo site The Intercept Brasil, que diz ter acessado mensagens trocadas no aplicativo de mensagens Telegram.

"Foi um comentário. Não estava entregando uma demanda", afirmou ao UOL.

A declaração de Gabrilli implicitamente confirma a veracidade das mensagens divulgadas. Ontem, a Lava Jato chegou a dizer que hackers poderiam ter forjado conversas.

Depois da divulgação das mensagens ontem à noite, Gabrilli disse que "procurava todo mundo" a respeito do assassinato do prefeito de Santo André (SP) Celso Daniel, ocorrido em 2002.

Na mensagem divulgada ontem, que teria sido enviada em março de 2017, Gabrilli se queixa de dificuldades para que o Ministério Público em São Paulo investigassem o caso.

Na sequência, Moro encaminha a queixa ao procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa no MPF (Ministério Público Federal) na Operação Lava Jato,

Nova conversa entre Moro e Dallagnol é divulgada

Band Notí­cias

A senadora havia visto uma conexão entre o caso Celso Daniel e a Lava Jato a partir de investigações da força-tarefa que chegaram a Ronan Maria Pinto. Ele é acusado de envolvimento em um esquema de corrupção no setor de transportes públicos de Santo André na gestão de Daniel e estava preso no âmbito da Lava Jato pelo recebimento de R$ 6 milhões.

Desde março deste ano, Pinto está preso em regime semiaberto, usando tornozeleira. "Ronan foi o link entre o caso de Santo André e a Lava Jato", disse a senadora.

Gabrilli pertence a uma família ligada a empresas de ônibus em Santo André. A irmã dela, por receber ameaças, teve de se mudar para o Rio Grande do Norte.

Com a divulgação da conversa, Gabrilli disse que aumentou seu receio pela vida de Marcos Valério, um temor que ela já havia demonstrado na mensagem a Moro. "Eu estou com muito medo que aconteça alguma coisa com Marcos Valério e nunca iremos desvendar esse mistério", escreveu em março de 2017. "Ele tem informação, sim", disse ao UOL hoje. Valério teria relatado chantagem por silêncio sobre o caso.

Para a senadora, a divulgação da conversa foi boa para trazer à tona o caso Celso Daniel e acredita que isso pode levar "desdobramentos muito importantes" para o caso. Mas ressalta que acha que o vazamento foi ilegal.

Ela, porém, não viu "absolutamente nada demais" nas conversas apresentadas. E elogia o ex-magistrado. "Vejo o juiz Sergio Moro como um símbolo brasileiro contra a corrupção".

Tetraplégica, Mara enfrenta pista de "skate" no Senado e assina com a boca

UOL Notícias

Mais Operação Lava Jato