Menina acusa professor de "crime de guerra" por causa de castigo coletivo

Do UOL, em São Paulo

Tudo bem que tem muito estudante que não gosta muito de seu professor. Mas uma menina escocesa de 11 anos pode ter exagerado um pouquinho.

Ava Mason acusou seu professor de ter cometido "crime de guerra", de acordo com a "Convenção de Genebra". Quem contou a história foi o pai da garotinha, o escritor Mason Cross.

Segundo ele, a escola onde a menina estuda pediu para os alunos avaliarem seus professores em um documento. Ava não teve dúvidas e foi dura em sua análise no campo "coisas que meu professor pode melhorar".

"Não usar punição coletiva. Não é justo com quem não fez nada e, de acordo com a Convenção de Genebra de 1949, trata-se de um crime de guerra", escreveu.

Mason postou a avaliação da filha em sua conta no Twitter e escreveu: "não sei se ela deveria ficar de castigo ou ganhar um sorvete".

Mais tarde, ele explicou que a filha, na verdade, adora seu professor, mas que tem um probleminha com a maneira como a "justiça educacional" funciona. De qualquer maneira, o paizão publicou uma foto de Ava com um sorvete mais tarde. Pelo jeito, ele decidiu o que deveria ser feito com ela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos