China cria o Uber dos guarda-chuvas, mas clientes ameaçam sucesso do negócio

Do UOL, em São Paulo

  • Anthony Wallace/ AFP

Uma empresa chinesa criou o conceito do guarda-chuva compartilhado. A ideia era ir de carona em negócios como o das bicicletas coletivas e fazer sucesso com um item que muita gente esquece em casa.

Mas, o negócio não deu certo. Poucas semanas após o anúncio do início das operações em 11 cidades da China, a empresa Sharing E Umbrella afirmou que perdeu quase todos os seus 300 mil guarda-chuvas.

A ideia da empresa era simples. Quem quisesse usar o guarda-chuva deveria pagar uma taxa e baixar um aplicativo. A cada meia hora de uso, seriam cobrados centavos.

O problema é que assim que os primeiros guarda-chuvas foram pegos pelos clientes, a empresa se deu conta de que a devolução seria um problema.

A maioria dos clientes simplesmente pegou o guarda-chuva. Até porque a taxa cobrada pela Sharing E Umbrella é muito mais barata do que o preço de um guarda-chuva novo.

A empresa ainda tem esperança de conseguir reaver a maioria dos guarda-chuvas. Mas outro problema pode derrubar de vez o negócio. Na China, costuma chover apenas no verão. A Sharing E Umbrella ainda não sabe como vai sustentar a companhia durante as longas secas do inverno.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos