Topo

Vazamentos da Lava Jato


Gilmar: Não surpreenderá se procuradores abriram conta em meu nome na Suíça

25.jun.2019 - O ministro Gilmar Mendes durante sessão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, em Brasília - Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
25.jun.2019 - O ministro Gilmar Mendes durante sessão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, em Brasília Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Constança Rezende e Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

06/08/2019 15h25Atualizada em 10/09/2019 14h17

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes disse que não se surpreenderia se os procuradores da Operação Lava Jato em Curitiba tivessem aberto uma conta em seu nome, na Suíça. O magistrado deu a declaração à reportagem do UOL na tarde de hoje, ao comentar reportagem do jornal El País e do site The Intercept Brasil, que afirma que os investigadores buscaram informações sobre ele visando pedir sua suspeição e até seu impeachment.

Ao UOL, o ministro disse que, ao tomar a atitude, os investigadores se encontram "no mesmo patamar ético de verdadeiros criminosos". "A mim não me surpreenderia se eles tivessem aberto uma conta em meu nome na Suiça."

No STF, Gilmar cobrou que a PGR (Procuradoria-Geral da República) adote "providências" sobre a atuação dos procuradores. "Eu acho que está na hora de a Procuradoria tomar providências em relação a isso. Tudo indica, e eu acho que na medida que os fatos vão sendo revelados, que nós tínhamos uma organização criminosa para investigar", disse Mendes.

De acordo com os diálogos dos procuradores, a prisão do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, levou o grupo a buscar possíveis ligações entre Preto, considerado operador financeiro do PSDB, e Gilmar Mendes. Segundo os procuradores, o ministro do STF teria sido indicado por Aloysio Nunes -os dois trabalharam juntos no governo Fernando Henrique Cardoso. Paulo Preto é investigado por suspeitas de ser operador financeiro do partido.

Após a publicação da reportagem, Mendes afirmou que os procuradores da Lava Jato fizeram "ilações irresponsáveis" e disse não conhecer Paulo Preto. "Eles partem de ilações absolutamente irresponsáveis. Eu não sei quem é Paulo Preto, nunca o vi. Eles dizem que trabalhou ao meu lado no Palácio do Planalto. Nunca o vi", afirmou o ministro, em entrevista a jornalistas antes da sessão de hoje da Segunda Turma do STF.

Vazamentos da Lava Jato