Gato vira candidato ao Senado norte-americano

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Hank for Senate

    Hank promete só fazer caca na caixinha de areia

    Hank promete só fazer caca na caixinha de areia

A corrida por uma vaga no Senado americano, pelo Estado de Virgínia, ganhou um candidato de peso. Quer dizer, ele é bem mais leve do que os outros, mas já causa furor. O gato Hank decidiu virar político e quer ameaçar o republicano George Allen e o democrata Tim Kaine.

O felino afirma conhecer bem os problemas da população, afinal, já morou na rua. Seu lema de campanha é “leite em todas as tigelas”.

Sua campanha já conta com página no Facebook e no Twitter. Além disso, Hank já tem uma série de apoiadores e correligionários e já arrecadou US$ 250.

“Hank sabe que a chave para uma América melhor e um futuro mais brilhante é a criação de empregos”, diz seu perfil no Facebook.

O grande desafio de Hank para assumir um assento no Senado seria sua idade. A lei federal exige que senadores tenham, no mínimo, 30 anos. Hank nasceu em 2003, mas em “idade de gato” já teria 52 anos.

A ideia de lançar Hank como candidato é da Sociedade Humana do Condado de Fairfax que quer alertar a população local sobre a importância das eleições.

Aqui no Brasil, dois animais-candidatos fizeram muito sucesso na época em que cédulas de papel eram usadas para o voto. Em São Paulo, o rinoceronte Cacareco recebeu cerca de 100 mil votos para ocupar uma vaga na Câmara de Vereadores, em 1959.

Já em 1988, estima-se que o mal-humorado macaco Tião tenha recebido 400 mil votos na eleição para prefeito do Rio de Janeiro.

(Com Huffington Post)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos