Aluna japonesa processa escola que exigiu que ela pintasse cabelo de preto

Do UOL, em São Paulo

  • liza5450/Getty Images/iStockphoto

    A garota tinha cabelo castanho e a escola exigiu que ela pintasse o cabelo de preto

    A garota tinha cabelo castanho e a escola exigiu que ela pintasse o cabelo de preto

Uma adolescente no Japão processou autoridades do seu país depois que sua escola exigiu que ela tingisse o cabelo de preto ou seria expulsa.

A jovem de 18 anos, que tem cabelo naturalmente castanho, está exigindo 2,2 milhões de ienes (cerca de R$ 64 mil) em danos do governo de Osaka. A estudante, que não teve o nome divulgado, afirmou que as aplicações de tintura danificaram seus cabelos e causaram erupções cutâneas no couro cabeludo.

A mãe da jovem disse aos professores antes de começar a frequentar o ensino médio que sua filha nasceu com cabelo naturalmente castanho e que, portanto, não quebrou a regra escolar exigindo que todos os alunos tenham cabelos pretos.

Mesmo assim, os professores disseram que a estudante deveria pintar o cabelo de preto. Segundo a escola, até mesmo estudantes estrangeiras naturalmente loiras deveriam tingir o cabelo.

A garota parou de ir à escola em setembro do ano passado e afirma que está sofrendo de fortes dores e irritação causada pela tintura.

O caso chamou a atenção para os códigos de vestimenta rigorosos impostos por muitas escolas no Japão, que proíbem maquiagem e joias e exigem de que as saias das estudantes sejam de determinado tamanho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos