Homem entra na justiça para poder se casar com seu laptop

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

Um homem, morador do Estado de Utah, nos Estados Unidos, entrou com um processo para poder se casar com seu laptop. Chris Sevier alegou que, se o casamento entre pessoas do mesmo sexo é permitido, a união entre humanos e máquinas também deveria.

No entanto, o procurador-geral de Utah afirmou que o casamento entre um homem e um computador não pode ser celebrado por ser inconstitucional.

"Os demandantes afirmam que, porque os tribunais reconheceram o direito de se casar com o mesmo sexo, esta corte deveria expandir ainda mais o direito de se casar para incluir uniões entre uma pessoa e um computador laptop, além de uniões entre múltiplos parceiros", escreveu o assistente do procurador-geral de Utah, David Wolf.

"Essas reivindicações são insustentáveis como questão de lei, porque os demandantes não têm legitimidade para trazer essa demanda e o direito de se casar não foi indefinidamente expandido, nem deveria ser", definiu Wolf. "Casar-se com um laptop ou com vários parceiros não é um direito protegido pela Constituição".

Outro argumento usado pelo procurador-geral é o de que um computador não é capaz de consentir em uma união.

O procurador-geral pediu para o juiz cancelar o processo e criar uma jurisprudência para que o assunto não seja mais discutido em nenhum outro Estado.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos