PUBLICIDADE
Topo

Brasil repatria ouro e diamantes adquiridos por Cabral de forma ilícita

Carro da PF durante fase da operação Lava Jato no Rio de Janeiro - Sergio Moraes
Carro da PF durante fase da operação Lava Jato no Rio de Janeiro Imagem: Sergio Moraes

Do UOL, em São Paulo

06/03/2020 12h50

O Ministério Público Federal (MPF) em parceria com o Ministério Público da Suíça repatriou quase 30 pedras de diamante e 4,5 kg de ouro que, somados, são avaliados em cerca de R$ 20 milhões, segundo comunicado da instituição.

Todo esse material teria sido adquirido com dinheiro ilícito em um esquema de corrupção comandado pelo ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

A existência e localização das pedras e do ouro foram reveladas para os investigadores da Lava Jato pelos responsáveis pela ocultação dos bens que, por meio de uma colaboração premiada, entregaram mais de R$ 100 milhões que pertenciam ao ex-governador e estavam no exterior.

O processo contou com apoio da Polícia e da Receita Federal, além da embaixada italiana. Os objetos ficarão à disposição da Justiça.

Preso em 2016, Cabral acumula treze penas que, somadas, totalizam 282 anos de detenção. Em 2019, Cabral decidiu assinar uma delação premiada para entregar políticos, magistrados, entre outros nomes de pessoas envolvidas em ilícitos.

Operação Lava Jato