Topo

Caso Marielle


Viúva de Marielle critica pedido de Dodge para federalizar caso

08.03.2019 - Mônica Benício, viúva da vereadora assassinada Marielle Franco, durante ato na Candelária, no Rio de Janeiro - Jose Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo
08.03.2019 - Mônica Benício, viúva da vereadora assassinada Marielle Franco, durante ato na Candelária, no Rio de Janeiro Imagem: Jose Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

18/09/2019 08h11

Viúva de Marielle Franco, a arquiteta Monica Benício criticou a decisão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de pedir a federalização das investigações sobre o assassinato da vereadora do PSOL e do motorista Anderson Gomes. O pedido foi anunciado ontem, no último dia de Dodge à frente do cargo.

"Preocupante e profundamente desrespeitosa a atitude da PGR em pedir a federalização do caso Marielle e Anderson sem NENHUM diálogo com as famílias", escreveu Monica no Twitter.

Denúncia criminal

Dodge anunciou ter apresentado à Justiça uma denúncia criminal sobre a tentativa de obstrução às investigações da morte de Marielle e de Anderson.

Cinco pessoas foram acusadas de tentar atrapalhar as investigações sobre o crime. Entre os denunciados está um conselheiro do TCE-RJ (Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro), Domingos Inácio Brazão.

Uma das linhas de investigação da PGR é a de que Brazão poderia ser o mandante do crime. Ele tem negado qualquer envolvimento com o crime.

O pedido de federalização deverá ser analisado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça). Dodge afirmou que o objetivo do pedido é apurar os mandantes do crime.

Segundo ela, o pedido não interfere na investigação, pelo Ministério Púbico do Rio de Janeiro, sobre os autores do assassinato. Dois suspeitos de terem executado o crime estão presos.

"Nós estamos federalizando a investigação sobre quem são os mandantes, não sobre quem são os autores", disse.

Caso Marielle