PUBLICIDADE
Topo

Caso Marielle


Bolsonaro aproveita protesto de apoiador para atacar Globo

Bolsonaro em moto durante passeio em Brasília - Guilherme Mazieiro/UOL
Bolsonaro em moto durante passeio em Brasília Imagem: Guilherme Mazieiro/UOL

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

02/11/2019 13h04

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) aproveitou o comentário de um apoiador contra a Rede Globo hoje para voltar a atacar a emissora dizendo que aguarda 15 minutos na programação para se manifestar sobre o caso Marielle Franco (PSOL). Nesta semana, uma reportagem do Jornal Nacional apresentou um depoimento de um porteiro do condomínio de Bolsonaro que vinculava o então deputado à morte da vereadora, em 2017. O depoimento do porteiro foi desmentido pelo Ministério Público.

"Se a Globo tiver vergonha na cara, não espera meu processo, concede [direito de resposta]. Se a Globo tiver vergonha na cara não espera meu processo, me abre espaço. Estou aguardando dignidade. Eu vi o [William] Bonner falando que é o jornalismo mais sério possível. Lógico, quem ganha R$ 800 mil por mês não pagando imposto de renda como pessoa física, tem que defender a Globo mesmo", afirmou Bolsonaro em referência ao apresentador.

A declaração foi feita em uma loja de motos, após um apoiador gritar "Globo lixo" em meio a uma entrevista a jornalistas. O presidente deixou o Palácio do Alvorada neste sábado (02), para retirar uma motocicleta Honda NC 750x, que custa R$ 33.980, segundo a montadora. Ele disse que pagou do próprio bolso.

"Vocês têm que estar arrumadinhos para 2022, hein. Estou dando o aviso antes. Não vou perseguir ninguém. Mas não vai dar jeitinho para renovar a concessão de vocês, não", afirmou sobre a concessão para Globo operar no país.

Bolsonaro voltou a atacar a imprensa e disse classificou como "covarde, hipócrita, sacana" o jornalismo feito pela TV Globo. "Globo, acabou a mamata. Por que que os Correios anunciavam na Globo? Alguém mais entrega carta? Precisa fazer propaganda? Não precisa. Acabou a mamata da TV Globo", declarou.

Bolsonaro disse que que além dele, família e amigos são perseguidos pela imprensa. "Covardemente esperaram eu estar fora do Brasil naquela madrugada, que lá [oriente médio] era quase madrugada. Tinha que enfrentar 300 empresários do mundo árabe no dia seguinte. E veio aquela matéria covarde sobre a Mariela (sic). Estou aguardando o espaço de 15 minutos ao vivo. E vou. Rio, São Paulo, Brasília para falar sobre o caso Mariela. Estou aguardando, TV Globo. Um jornalismo covarde, hipócrita, sacana da TV Globo", disse.

Ouça o podcast Baixo Clero, com análises políticas de blogueiros do UOL.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Caso Marielle