Topo

Operação Lava Jato


Solto, Lula quer voltar ao seu último palanque antes de ser preso

Lula acena para militantes no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, antes de se entregar à PF, em 7 de abril de 2018 - Ricardo Stuckert - 7.abr.2018/Instituto Lula
Lula acena para militantes no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, antes de se entregar à PF, em 7 de abril de 2018 Imagem: Ricardo Stuckert - 7.abr.2018/Instituto Lula

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

08/11/2019 15h07Atualizada em 08/11/2019 17h44

Resumo da notícia

  • Pronunciamento em sindicato está previsto para amanhã
  • Local foi o palanque do último discurso de Lula antes da prisão em 2018
  • Sindicato dos Metalúrgicos é considerado o berço político do ex-presidente

O PT definiu o roteiro que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumprirá agora que deixou a prisão, nesta sexta-feira (8), depois de passar quase 20 meses na sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba.

O itinerário de Lula fora da carceragem começa com um agradecimento à militância que acampou em frente ao prédio da PF e termina com ato no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (SP). No local, ele fez seu último discurso antes da prisão, em 2018. O sindicato também é o berço político do petista.

Por medidas de segurança, a assessoria do petista não informou como serão feitos esses trajetos.

Lula pediu à Justiça Federal no Paraná para que seja libertado em razão da decisão de ontem do STF (Supremo Tribunal Federal). Ontem, a Corte finalizou o julgamento que proibiu a prisão após condenação em segunda instância, caso do ex-presidente. O juiz Danilo Pereira Jr., da 12ª Vara Federal de Curitiba, já expediu o alvará de soltura. Ele substitui a juíza Carolina Lebbos, que está em férias até 22 de novembro.

Segundo o planejamento da defesa de Lula e do PT, agora Lula:

  • Irá ao terreno na frente da PF, onde estão apoiadores da chamada "Vigília Lula Livre"
  • Aos militantes, ele irá agradecer pelo apoio ao longo dos últimos 20 meses.
  • Lula estará acompanhado da presidente nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), e do ex-prefeito paulistano Fernando Haddad, candidato derrotado do PT na última eleição para o Planalto. Haddad e Gleisi já estão em Curitiba.
  • Após falar na vigília, pelos planos iniciais, Lula viajará para São Bernardo do Campo.
  • Ainda não há confirmação sobre como será o traslado, mas ele deve se deslocar por via aérea para a capital paulista e, depois, de carro para São Bernardo, onde possui residência.
  • No dia seguinte à libertação, discursará no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, também na cidade da região metropolitana. No local, fará um "pronunciamento à nação". Militantes de movimentos sociais já são convocados para o ato. O evento está previsto para começar às 9h.

Em nota, Gleisi disse que os apoiadores do PT devem "seguir tranquilos, como está o presidente, e evitar as provocações que podem vir do clima de ódio e do extremismo da direita para não estragarmos este momento de alegria".

Militância do PT comemora decisão do STF em Curitiba

UOL Notícias

Operação Lava Jato