Topo

CarnaUOL

Ricky Hiraoka


"Queria sair peladona, cheia de purpurina", diz musa plus size da Peruche

Reprodução/Instagram
Débora Porto é musa plus size da Peruche Imagem: Reprodução/Instagram
Ricky Hiraoka

Formado em jornalismo pela USP e pós-graduado em roteiro pela FAAP, Ricky Hiraoka foi colunista social na revista VEJA SÃO PAULO e na L'Officiel, colaborador de títulos como Glamour, Estilo e Boa Forma e apresentador da TV Marie Claire. Como roteirista, escreveu as séries Z4 (SBT/Disney), Eu, Ela e Um Milhão de Seguidores (Multishow), alem do reality show Fábrica de Casamentos (SBT/Discovery) e o humorístico Ceará Fora da Casinha (Multishow).

16/01/2019 04h00

Alçada à fama por sua participação no concurso Miss Bumbum, Débora Porto dá mais um passo em sua carreira de personalidade da mídia: desfilar numa escola de samba neste Carnaval.

Dona de medidas generosas (125 cm de quadril, 110 cm de busto e 84 cm de cintura), a paulista de Jaú foi convidada pela Unidos do Peruche (veja a programação do desfile do Carnaval de São Paulo) para ser musa plus size da agremiação e vem como destaque de chão. "Eu queria sair peladona, cheia de purpurina, mas não deixaram", lamenta a moça, que estará fantasiada de Oxum com um biquíni dourado, e deve usar um tapa-sexo minúsculo.

Débora, que nunca tinha pisado numa escola de samba até o ano passado, tem feito aulas de dança e pole dance para ganhar resistência física e provar que merece o espaço que lhe ofereceram. "Não só as magrinhas ou bombadas são dignas de serem musas do Carnaval", alfineta.

Capa e recheio da revista Sexy, Débora encara a nudez como um ato político. "Quando fiz meu ensaio sensual, me chamaram de Peppa Pig, comentaram que ser gorda era doença, mas eu sei que eu ajudo muitas mulheres fora do padrão por mostrar meu corpo", acredita. "Tenho muita autoestima. Sou linda e gostosa mesmo!"

As fotos nuas aumentaram a quantidade de cantadas e propostas indecentes. Ela afirma receber desde pedidos de casamento até dezenas de nudes. "A coisa mais bizarra que já me ofereceram foi dinheiro. Um gringo quis me pagar US$ 15 mil dólares por uma noite de amor. Neguei, pois nada compra meu tesão!"