Topo

Búzios (RJ) investiga morte de quase 70 animais marinhos

Felipe Martins

Do UOL, no Rio de Janeiro

2013-08-20T16:48:10

20/08/2013 16h48

A prefeitura de Búzios, no Rio de Janeiro, investiga as causas da morte de quase 70 animais marinhos em suas praias desde o último domingo (18).  A Guarda Marítima Ambiental da cidade encontrou 51 pinguins mortos na segunda-feira (19) e outros 11 no dia anterior - todos na praia do Forno. Além deles, quatro albatrozes, duas tartarugas e uma moreia também estavam mortos. 

Apenas nesta terça-feira (20) dois pinguins foram resgatados com vida na praia de João Fernandes, em Búzios, e outros dois em Arraial do Cabo, outro município da região dos Lagos - eles estão se alimentando de peixes e nadando, segundo a equipe. 

De acordo com o biólogo Marcelo Morel, chefe da Guarda Marítima Ambiental de Búzios, a pesca predatória da sardinha, alimento dos pinguins, é a principal causa para a mortandade desses animais na região. 

"Os pinguins que encontramos estão todos magros. Em cada lance de rede, uma tonelada de sardinha é retirada do mar. A ação do homem acabou provocando todas essas mortes. Os pinguins vêm para a costa atrás de comida, mas, como não a encontram, acabam morrendo de fome", disse o biólogo que trabalha no resgate dos animais.

Já as tartarugas, os albatrozes e a moreia, além de outros poucos pinguins, foram encontrados mortos enrolados a redes de pesca e a muito lixo. Os donos das redes, até o fechamento desta reportagem, não haviam sido identificados.

A Secretaria do Meio Ambiente de Búzios, no entanto, afirma que somente através de exame laboratorial poderá definir o que provocou a mortandade dos animais marinhos nos últimos dias.

Mesmo sem os resultados dos laudos, a Guarda Marítima decidiu intensificar o trabalho de combate à pesca predatória nas praias que têm proteção ambiental. 

"Vamos intensificar os trabalhos nos finais de semana, principalmente nas praias que ficam em áreas protegidas. Já vínhamos fazendo este trabalho - e, agora, a ordem é intensificar mais ainda", afirma Morel.

Mortes em outras cidades do Rio

Já em Macaé, cidade no interior do Estado, uma tartaruga marinha da espécie cabeçuda, que tem cerca de 200 quilos e 1,60 metro, foi achada já em estado de decomposição na margem da praia Campista. Moradores também relataram que dois pinguins estavam sem vida na lagoa de Imboassica, próximo à Guarda Ambiental.

No último domingo, em Maricá, também na Região dos Lagos,  um golfinho estava morto na praia da Barra de Maricá. O animal foi levado para pesquisa por profissionais da faculdade de Oceanografia da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro). A suspeita é que redes de pesca ilegais tenham provocado a morte do golfinho da espécie pseudo Orca.

Mais Meio Ambiente