Topo

WWF elege 2013 o ano do urso polar e alerta sobre futuro da espécie

Em Montreal

2013-01-18T10:46:00

18/01/2013 10h46

O futuro do urso polar é incerto devido ao "aquecimento acelerado do Ártico", alertou o braço canadense da organização ambientalista Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na sigla em inglês).

O aquecimento global "é certamente uma ameaça importante para estes ursos, cuja vida é indissociável do gelo", afirmou Geoff York, especialista de preservação de espécies do WWF, para quem este ano será "determinante".

A organização declarou 2013 o "Ano internacional do urso polar", lembrando que a data marca o 40º aniversário do Acordo para a Preservação da espécie, firmada pelos cinco países que têm populações de ursos polares.

Além do Canadá, que abriga 60% dos 20 mil a 25 mil ursos polares do planeta, os outros signatários do acordo são Dinamarca, Estados Unidos, Noruega e Rússia. Nos últimos quarenta anos, esses países financiaram pesquisas científicas para identificar as populações de ursos polares mais vulneráveis. Também foram criadas áreas de habitats protegidas.

Geoff York avalia que os Estados envolvidos deveriam redobrar os esforços, proteger o habitat do urso polar, limitar o desenvolvimento industrial no Ártico e financiar a pesquisa para que "as populações de ursos polares se mantenham e vivam com boa saúde durante mais 40 anos ou além disso".

Em 2011, o governo canadense incluiu o grande mamífero carnívoro, cujo peso se situa - entre os machos - entre 400 e 600 quilos, na lista de espécies vulneráveis ou ameaçados, julgando a situação como "preocupante".

Mais Meio Ambiente